Get Adobe Flash player

Tag adicionada ao post ‘SP’

Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil Edição: Beto Coura

O Ministério da Educação autorizou o funcionamento de seis cursos de medicina em instituições particulares. Com isso, serão ofertadas mais 498 vagas no país. A portaria que autoriza os cursos foi publicada hoje (23) no Diário Oficial da União.

As vagas serão distribuídas da seguinte maneira: 42 na Faculdade Meridional, em Passo Fundo (RS), 76 no Centro Universitário Uniseb, em Ribeirão Preto (SP); 100 no Centro Universitário de João Pessoa, em João Pessoa, 100 na Faculdade das Américas, em São Paulo; 80 no Centro Universitário Franciscano, em Santa Maria (RS) e 100 na Faculdade Integrada Tiradentes, em Maceió.

O governo busca a expansão das vagas nos cursos de medicina para alcançar a meta do Programa Mais Médicos que prevê abrir 11.447 vagas em cursos de medicina até 2017 — 3.615 em universidades federais e 7.832 em instituições particulares.

No começo do ano, o ministério autorizou 1,3 mil vagas em instituições públicas e privadas; em maio, foram 420 vagas em universidades federais. No mês passado, foram autorizadas 120 vagas em dois cursos de medicina em instituições privadas.Fonte:Agência Brasil-23/7/14

Reprodução
Em entrevista, o deputado estadual Major Olímpio (PDT)  fala de ameaças sofridas por policiais, da falta de proteção por parte do Estado, dos PMs mortos neste ano e de como a guerra diária nas periferias é uma luta entre pessoas de mesma origem social

03/07/2014

William Cardoso,

da Ponte.org

Representante dos policiais militares na Assembleia, Olímpio afirma que os integrantes da corporação estão abandonados e que o clima é de insegurança geral, o que pode despertar o desejo de fazer “justiça com as própria mãos” . Ele explica como esse ciclo evolui e o que gera, do ponto de vista dos policiais militares. Leia o restante desta notícia...

barbosa1.JPGDisputas domésticas por fontes de água – a exemplo do episódio entre os estados de São Paulo e Rio de Janeiro em torno do rio Paraíba do Sul – são sintomas de uma preocupante realidade: aspectos já demonstrados pela ciência não são necessariamente levados em consideração pelos tomadores de decisão, afirma o professor Francisco Antônio Rodrigues Barbosa (em foto de Sarah Dutra/UFMG), do Departamento de Biologia Geral da UFMG. Leia o restante desta notícia...

Notícias por categoria
Notícias anteriores
Comentários