Get Adobe Flash player

 

 

 

A Equipe Fórmula Tesla, que representará a UFMG na categoria Elétrica da 16ª Competição Fórmula SAE, está finalizando seus preparativos para a disputa que ocorrerá no fim do próximo mês. Nesta quinta-feira, 31, o grupo fará o lançamento do protótipo inscrito na competição em evento na Escola de Engenharia, no campus Pampulha, a partir das 19h30. Denominado NK319, o carro elétrico começou a ser projetado em janeiro e conta com diversas melhorias.

A fase de projetos durou até março, quando começaram a ser fabricados o chassi, a suspensão, a direção, o freio e a parte eletrônica. “O principal avanço foi na autonomia (distância percorrida pelo carro com uma carga), já que aumentamos o banco de baterias com mais 24 células. Se antes tínhamos uma autonomia de 13 quilômetros, agora ela alcança 22 quilômetros, distância superior ao percurso da competição”, revela Pedro Rosa, aluno do curso de Engenharia Mecânica e capitão da equipe.

O protótipo incorporou outras melhorias, como a redução da massa, que só foi possível pelo fato de a equipe ter trocado as peças de aço por alumínio aeronáutico. O carro elétrico também recebeu sensores, frenagem regenerativa e o sistema de telemetria, que gera dados em tempo real.

Desempenho
Fórmula Tesla é a atual vice-campeã do torneio nacional e busca resultados ainda melhores neste ano. “Projetamos, fabricamos e testamos um veículo de alto desempenho. Em 2018, no segundo ano de participação da equipe, conquistamos o segundo lugar geral e fomos muito elogiados pela evolução rápida e inovações aplicadas em nosso protótipo. Com toda a experiência adquirida no ano passado e com o feedback dos juízes, conseguimos melhorar a qualidade do projeto e incorporamos mais tecnologia à fabricação do protótipo”, salienta o capitão.

A equipe, formada por 44 alunos de graduação de diversas áreas da Escola de Engenharia da UFMG, tem como foco o desenvolvimento de um veículo da modalidade fórmula movido a eletricidade.

 

 

A Assufemg presta sua homenagem a todos os profissionais da área pelo seu dia! Parabéns!

 

 

 

A liberação de parcela do orçamento de custeio, repassada nesta segunda-feira, 21, para a UFMG, no valor de R$24,3 milhões, permitirá à Universidade arcar com o pagamento de contas das concessionárias de água, energia e telefonia, das bolsas financiadas com verba própria para extensão, graduação e assistência estudantil, dos contratos de terceirizados e das demais despesas referentes à manutenção da Universidade.

O descontingenciamento da última parte da verba discricionária das universidades foi anunciado pelo MEC na última sexta-feira, dia 18. Em maio passado, a UFMG teve 64,5 milhões bloqueados, o que representa 30% dos R$ 215,2 milhões do recurso para custeio previsto no início do ano na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LOA). “Continuamos priorizando as atividades-fim da Instituição (ensino, pesquisa e extensão), o pagamento de bolsas e dos contratos de terceirizados”, explica a reitora Sandra Regina Goulart Almeida.

Continuam bloqueados os R$ 10,1 milhões do chamado orçamento de capital, parte destinada a investimentos, como obras e equipamentos. “Esse recurso é imprescindível para planejar a retomada das obras interrompidas no passado por escassez de verbas”, alerta a reitora.

Orçamento de 2020
Segundo Sandra Goulart Almeida, ainda não há confirmação sobre o orçamento de 2020. A proposta anunciada no início de setembro pelo governo federal previa valores nos mesmos patamares deste ano. A maior preocupação das universidades, além do incremento de recursos em 2020, é a sua sistemática de liberação.

“A gestão eficaz é necessária, sobretudo em um cenário de escassez de recursos. Para isso, precisamos ter condições de planejamento. Neste ano, diante de um orçamento exíguo, nos esmeramos ainda mais na programação, mas fomos surpreendidos em maio pelo contingenciamento. Esse cenário de incertezas dificulta a gestão administrativa e a execução financeira”, finaliza Sandra Goulart Almeida.

Notícias por categoria
Notícias anteriores
Comentários