Get Adobe Flash player

 

 

 

A UFMG manteve nota máxima (5) no Índice Geral de Cursos (IGC) e continua entre as três melhores universidades públicas do país, conforme resultados das avaliações divulgados nesta quinta-feira, 12, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Os dados são referentes ao ano de 2018.

Esses indicadores são produzidos pelo Inep, vinculado ao Ministério da Educação, e divulgados anualmente, com base nos resultados do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). O objetivo é subsidiar as decisões para aprimoramento da educação superior.

A UFMG se destacou no conceito do doutorado – que compõe o IGC, somado ao conceito de mestrado e ao Conceito Preliminar de Curso (CPC): foi o mais alto entre as universidades públicas avaliadas.

A edição de 2018 inlcui mais de 2 mil instituições de ensino superior e 8.520 cursos avaliados. No caso da UFMG, foram produzidos indicadores dos cursos de Administração, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda, Design, Direito, Gestão Pública, Psicologia, Relações Econômicas Internacionais e Turismo.

Acima da média
No Conceito Preliminar de Cursos (CPC), que avalia os cursos numa escala de 1 a 5, a Universidade obteve nota 4 em todos os cursos avaliados. “A nota é superior à média nacional e reflete excelente desempenho, com destaque para o curso de Design, que passou da nota 3, obtida em 2015, para nota 4”, observa a diretora de Avaliação Institucional, professora Viviane Birchal.

Também os cursos de Jornalismo e de Publicidade e Propaganda, que pela primeira vez foram avaliados separadamente do grupo Comunicação Social, receberam nota 4.

“Esses indicadores são importantes instrumentos de autoavaliação, utilizados pela Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Universidade para promover reflexões em conjunto com colegiados e núcleos docentes estruturantes (NDEs) dos cursos”, acrescenta Viviane Birchal.

Cálculos
O cálculo do IGC considera a média do Conceito Preliminar de Curso (CPC) do último triênio, a média dos conceitos de avaliação dos programas de pós-graduação stricto sensu, com base em dados da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), e a distribuição dos estudantes entre os diferentes níveis de ensino (graduação ou pós-graduação stricto sensu).

Para que um curso tenha o CPC calculado, é preciso que ele tenha no mínimo dois estudantes concluintes participantes no Enade. Os insumos usados nos cálculos são desempenho dos estudantes no Enade, valor agregado pelo curso ao desenvolvimento dos estudantes concluintes (IDD), perfil do corpo docente (regime de trabalho e titulação) e percepção discente sobre as condições do processo formativo.

Já o cálculo anual do IGC considera média dos CPC do último triênio, relativos aos cursos avaliados da instituição; média dos conceitos de avaliação dos programas de pós-graduação stricto sensu atribuídos pela Capes na última avaliação trienal disponível; distribuição dos estudantes entre os diferentes níveis de ensino (graduação ou pós-graduação stricto sensu).

 

 

 

No último dia 6, foi divulgado pela Prograd o resultado da seleção de mais cinco laboratórios que receberão verbas do Programa de Apoio a Projetos Estruturantes de Laboratórios para o Ensino de Graduação (Paleg). A chamada foi publicada em 2018 e já contemplou 22 propostas de diferentes unidades da UFMG.

O Paleg tem o objetivo de estruturar laboratórios para o ensino de graduação e, assim, estimular e consolidar ações inovadoras que contribuam significativamente para a qualidade e para a melhoria do ensino nos cursos de graduação da UFMG. As 33 propostas recebidas abrangem diversas áreas do conhecimento.

Duas delas visam à modernização de estruturas, uma para os cursos de Biomedicina e Farmácia (Faculdade de Farmácia) e outra para o laboratório de biologia funcional do Instituto de Ciências Biológicas. No Instituto de Ciências Exatas, o projeto contemplado foi de estruturação dos Laboratórios de Ensino dos Departamentos de Física e Química. O projeto de pesquisa Inovação e Conhecimento em Movimento, da Escola de Engenharia, e a implementação do Laboratório de Conexões Intermidiáticas, da Fafich, também foram selecionados.

As informações sobre a liberação dos recursos financeiros e itens apoiados serão enviadas para os coordenadores das propostas contempladas. Dúvidas sobre a chamada e sobre o Paleg podem ser esclarecidas pelo e-mail eventos@prograd.ufmg.br ou pelo telefone (31) 3409-4562.

 

 

 

O Museu de História Natural e Jardim Botânico (MHNJB) promove, de 20 a 24 de janeiro, a 18ª edição da sua colônia de férias para crianças de 5 a 12 anos. Os responsáveis têm até sexta-feira, 13 de dezembro, para fazer a inscrição nas atividades que apresentam ao público infantil temas e atividades ligadas à arte, cultura e divulgação científica.

Há vagas para o turno da manhã, das 8h às 12h. Há a possibilidade de escolher se a criança vai participar da colônia todos os dias ou somente em parte deles. No site, o museu antecipa a orientação de que cada participante leve seu próprio lanche.

Crianças da Comunidade Vila Vilma, vizinha ao museu, contam com até 12 vagas gratuitas. Aquelas que possuem alguma ligação com a comunidade UFMG pagam R$ 20. Para outras crianças, a taxa é de R$ 30. Após confirmação, é necessário efetuar o pagamento do boleto até segunda (16).

O MHNJB está localizado na Rua Gustavo da Silveira, 1.035, bairro Santa Inês. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (31) 3409-7607.

 

 

 

Evento apresenta os novos espaços de informática
Novidades são resultados do Programa de Apoio a Projetos Estruturantes de Laboratórios para o Ensino de Graduação (Paleg) e serão apresentadas em evento de conclusão

A Faculdade de Medicina da UFMG irá apresentar as novidades oriundas do edital Programa de Apoio a Projetos Estruturantes de Laboratórios para o Ensino de Graduação (Paleg), da Pró-reitoria de Graduação da UFMG (Prograd), em uma cerimônia de conclusão das ações, aberta a toda a comunidade, no dia 11 de dezembro, às 10h, no hall do 4º andar da Instituição. Através dessa chamada interna, a Unidade agora conta com cinco laboratórios, incluindo um completamente novo e a restruturação dos antigos, além de capacitação docente para uso do Moodle e novos espaços de informática para uso básico.

Com o Paleg, a Prograd visava apoiar a estruturação de laboratórios para o ensino de graduação, com o objetivo de estimular e consolidar ações inovadoras que contribuam significativamente para a qualidade e para a melhoria do ensino nos cursos de graduação da UFMG. A proposta da Faculdade, selecionada no edital, foi a do Centro de Informática em Saúde (Cins) com o nome “Saúde digital para o profissional do futuro”.

“É um projeto do Cins, mas contou com o apoio dos professores Eliane Gontijo, Ana Cristina Simões e Silva, Fernando Reis, Paulo Márcio, Ada ávila, Stela Maris Aguiar Lemos e o superintende administrativo da Faculdade Maurílio da Silva Elias”, relata a coordenada do projeto e do Centro de Informática em Saúde, professora Zilma Reis. De acordo com ela, o envolvimento de pessoas de diferentes áreas é para ressaltar que o uso dos espaços servirá a toda a Faculdade, favorecendo ambos os cursos.

Uma demanda do ensino
A professora Zilma conta que para a proposta do Cins foi o levantamento das demandas de uso dos espaços de informática e constataram 26 turmas, com 2.496 estudantes de graduação, atendidos em disciplinas que usavam os laboratórios, além de 12 turmas com 448 alunos de pós-graduação. “Ou seja, antes do Paleg, havíamos uma demanda de 2.944 alunos por semestre para o uso desses laboratórios. Isso sem considerar os pedidos de professores que queriam utilizar esses espaços, mas a demanda já era grande demais”, comenta.

 

 

 

Acesse este link e confira a Edição 1272: http://bit.ly/2RqdMy6

Notícias por categoria
Notícias anteriores
Comentários