Get Adobe Flash player

 

 

A Faculdade de Medicina da UFMG será uma das responsáveis pelo ensaio clínico da vacina candidata contra a covid-19 da Johnson & Johnson, conhecida como Ad26.COV2.S. Essa é a primeira avaliação que a Instituição participa como centro colaborador da rede internacional CoVPN, que testará vacinas e anticorpos monoclonais produzidos por diversos laboratórios para combater o vírus SARS-CoV-2. A testagem terá início na próxima semana. Nesta quarta-feira, dia 7, o grupo de pesquisadores da UFMG envolvido nos estudos dará mais detalhes do experimento em coletiva de imprensa.
O objetivo dessa rede é testar diferentes produtos com o máximo rigor científico possível para obter resultados consistentes. Centros vinculados à CoVPN e J&J recrutarão de 30 a 60 mil participantes na Argentina, no Brasil, no Chile, na Colômbia, no México, no Peru, na África do Sul e nos Estados Unidos. A Faculdade de Medicina será responsável por testar a candidata à vacina em até dois mil participantes.
O estudo faz parte da fase 3 da vacina candidata da Johnson & Johnson. Nas etapas anteriores, foram realizados testes que avaliaram sua segurança e imunogenicidade (capacidade de gerar respostas) em voluntários sadios – esta última etapa antecede o registro nas agências reguladoras para uso pela população geral.
O imunizante utiliza como vetor um adenovírus humano, sem capacidade de replicação, no qual se insere o material genético do SARS-CoV-2. Trata-se de uma vacina muito promissora pela potência imunogênica, de acordo com os resultados dos primeiros testes. Já se sabe que uma única dose é suficiente.
Podem se candidatar pessoas com mais de 18 anos de idade, sem limite superior de idade, por meio de preenchimento de formulário na internet, através deste link: https://bit.ly/2HPrR5x . Haverá divisão por grupos, de acordo com as etapas da pesquisa. Inicialmente, a vacina será testada em pessoas sem patologias prévias, em grupos com menos ou mais de 60 anos. Após constatada a segurança do produto, haverá a segunda etapa com a testagem em pessoas da mesma faixa etária (grupo de 18 a 60 anos e o grupo com mais de 60 anos), mas com alguma comorbidade (obesidade, problemas cardíacos, hipertensão arterial, entre outras).
Um diferencial desse estudo é que a seleção não estabelece critério de ocupação profissional, como ser profissional da saúde. A prioridade é alcançar pessoas que corram mais risco de infecção pelo vírus. Espera-se ainda que o conjunto de voluntários recrutados reflita ao máximo a diversidade populacional, segundo variáveis como faixa etária, condição social, raça e gênero.
Duplo cego
Como é comum em outros estudos de avaliação da eficácia de um produto, haverá um grupo comparador. Isso significa que os participantes serão divididos por sorteio entre aqueles que receberão placebo e os que receberão a candidata à vacina. Este é um estudo duplo-cego, em que nem os pacientes nem os investigadores sabem o que receberam. Todos serão acompanhados por 24 meses. Após a confirmação da eficácia da vacina, os pacientes voluntários que tomaram o placebo terão prioridade para receber o imunizante.
Por meio deste documento, o interessado precisa responder sobre a disponibilidade de comparecer ao Hospital das Clínicas da UFMG, onde será feita a aplicação da vacina.
Fonte: Centro de Comunicação Social da Faculdade de Medicina

 

 

 

Entre os mais de 50 mil voluntários para os testes da vacina Coronavac em diversos países do mundo, 94,7% não tiveram nenhuma reação adversa. Outros 5,3% sentiram efeitos adversos de grau baixo, como dor no local da aplicação, febre moderada e perda de apetite. As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (23) pelo governo de São Paulo.

Candidata à vacina contra o novo coronavírus produzida pela empresa chinesa Sinovac, a Coronavac é testada no Brasil sob coordenação do Instituto Butantan. Voluntários de Belo Horizonte também participam dos testes, coordenados localmente pelo Instituto de Ciências Biológicas da UFMG.

Enquanto aqui os testes são realizados com cerca de 900 profissionais de saúde que atuam na linha de frente do atendimento aos pacientes com Covid, na China foram iniciados os testes com crianças e idosos, para garantir a segurança nesses dois públicos.

De acordo com o governador de São Paulo, João Doria, os resultados preliminares da Coronavac comprovam que a vacina tem um excelente perfil de segurança. Em coletiva, ele garantiu que 46 milhões de doses da vacina estarão disponíveis até dezembro e outras 55 milhões de doses devem ser disponibilizadas ainda no primeiro semestre de 2021.

Em Belo Horizonte

Na capital mineira, o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Fármacos do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG tem uma semana para vacinar mais cerca de 150 voluntários entre profissionais de saúde. São 852 vagas e mais de 1.200 pessoas se mostraram interessadas em participar dos testes, mas nem todas preencheram todos os requisitos.

“Muitas pessoas que quiseram se voluntariar não eram da linha de frente de atendimento aos pacientes ou já tiveram positividade em algum teste feito. Mas devemos alcançar a nossa meta, nossa agenda está cheia nos próximos dias”, contou a professora Lísia Esper, que faz parte da equipe de coordenação da pesquisa em Belo Horizonte.

Nessa fase 3 da vacina, metade dos voluntários recebe a dose do fármaco e o outro grupo recebe um placebo, mas nem mesmo os pesquisadores sabem quem tomou o que. Por isso, a pesquisa é considerada randômica, com duplo-cego e grupo de controle.

Ela explica que os voluntários são acompanhados ao longo de um ano, mas a expectativa é que a vacina seja liberada antes disso, a partir de dados preliminares. “Nós não temos acesso aos dados, somente o Instituto Butantan. Ao final, após toda a aprovação, eles vão liberar a lista das pessoas que tomaram o placebo e convidá-las para tomar a dose da vacina”, afirmou.

O profissional de saúde que está na linha de frente de atendimento a pacientes com Covid pode se inscrever pelo telefone (31) 97171-2657. Para participar, é importante preencher os seguintes requisitos:

• não ter sido contaminado pelo novo coronavírus;
• não participar de outros experimentos;
• ter registro ativo no conselho profissional de seu ofício.

 

Fonte: https://www.hojeemdia.com.br/horizontes/mais-de-94-de-volunt%C3%A1rios-de-vacina-chinesa-contra-covid-n%C3%A3o-tiveram-rea%C3%A7%C3%A3o-adversa-1.805054

 

 

 

UFMG  lançou recentemente  o site de Saúde Mental (https://www.ufmg.br/saudemental/), elaborado pela Comissão Permanente de Saúde Mental da UFMG.

Na apresentação do site, a Reitoria da UFMG, ressalta que “o site de Saúde Mental da UFMG tem por objetivo ser uma referência institucional sobre o tema, além de ser um veículo que fortalece a rede de saúde mental para membros internos e externos. Assim, esta página pretende ser um ponto de encontro dos integrantes da comunidade universitária, abrindo espaços para discussões sobre sofrimento mental e trazendo, para o centro de nossa agenda, um tema de grande relevância para a vida universitária.”

Além de discussões e informações sobre o tema, o site reserva  espaço especial para cada segmento da comunidade universitária e  traz uma lista  das iniciativas e núcleos de apoio e escuta acadêmica para acolhimento à comunidade da UFMG.

No período de distanciamento social causado pela pandemia de Covid-19 no país, conheça o projeto de acolhimento à distância para a comunidade universitária.
Nos Canais de Acolhimento você encontrará apoio para sua inclusão e permanência na UFMG. São espaços de escuta e diálogo com pessoas devidamente capacitadas. Buscar apoio ou ajuda nesses canais, além de contribuir para sua vida acadêmica ou laboral, pode trazer benefícios para sua saúde mental.
Nesses Canais de Atendimento Especializados você encontrará profissionais especializados em saúde mental para atendimento, orientação e encaminhamentos.
Lembre-se: em caso de emergência, você pode acionar o DAST (3409-4499 / 3409-4315 / 3307-9564) para realizar os primeiros atendimentos e/ou fazer orientações sobre encaminhamentos ou o SAMU (192) ou o Corpo de Bombeiros (193). Pode também encaminhar a pessoa em crise para os serviços de Saúde Mental da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) de Belo Horizonte.
Você pode encontrar esse acolhimento em vários locais ou canais da UFMG e também na cidade.

Acesse e ajude a divulgá-lo!

Página 2 de 34312345678910...203040...Última »
Notícias por categoria
Notícias anteriores
Comentários