Get Adobe Flash player

UTILIDADE

 

 

 

 

A 11ª Feira do Livro da UFMG será realizada, de 25 a 28 de março, na Praça de Serviços do campus Pampulha. Neste ano, 42 editoras participam do evento, onde serão vendidos livros com descontos de, no mínimo, 40% do valor de capa, inclusive lançamentos.

A feira vai funcionar das 9h às 20h nos dias de semana e até 17h no sábado. O evento contará com cobertura da Rádio UFMG Educativa, com destaque para as ofertas e bate-papos com autores.

As seguintes editoras vão participar desta edição: Aletria, Autêntica, Grupo Companhia das Letras, C/Arte, Cengage Learning, Editora Contexto, Contraponto, Editora 34, Editora LÊ, Editus, EDUCS, EdUfscar, Edusp, Exitus Livros, Expressão Popular, Editora Fiocruz, Gustavo Gili, Editora Universitária Leopoldianum, L&PM, Mazza Edições, Martins Fontes, Moinhos, Mulheres em Letras, Oficina de Textos, PUC Minas, PUCPRESS, Relicário Edições, Grupo Editorial Record, Senac, Sesc, Taschen, Todavia, UBU, Zahar, UEPG, UEFS, Unesp, Ufla, UFMG, UFPR, Unicamp, Editora Vozes.

A expectativa é de que, antes da feira, a organização do evento já consiga disponibilizar na internet os catálogos das editoras com os preços que serão praticados. O interessado pode acompanhar as novidades pela página do evento no Facebook.

 

 

 

Em 2019, passou de 100 o número de estudantes da UFMG com deficiência visual, distribuídos nas diversas unidades acadêmicas e em todos os níveis de ensino. E a Universidade vai certamente receber, neste ano, ainda mais alunos cegos e com baixa visão. Naturalmente, esse crescimento faz aumentar a demanda por material didático adaptado. Para fazer frente a essa nova realidade, o Núcleo de Acessibilidade e Inclusão (NAI) firmou parceria com a Biblioteca Universitária (BU), cujas unidades passarão a escanear os textos solicitados pelos estudantes e enviar para o NAI, que é responsável pela adaptação do material.

O objetivo do projeto Bibliotecas Acessíveis, idealizado no início do ano passado, é tornar mais amplo, ágil e eficiente o processo que culmina na entrega ao aluno do texto adaptado. Hoje, o escaneamento é feito pelo NAI.

Para viabilizar a ação conjunta, o Núcleo adquiriu 23 escâneres, do modelo Epson Workforce DS-1630, que serão repassados pela diretoria da BU às unidades integrantes do Sistema de Bibliotecas da UFMG. A doação dos escâneres foi formalizada em  solenidade no último dia 11, no campus Pampulha.

Os textos escaneados podem ser adaptados para  diferentes formatos: digital, para uso de leitores de telas no computador, tradução para Braille, impressão com letras aumentadas, impressão em alto relevo e transformação de texto em voz (em arquivos como MP3 e MP4).

 

 

 

Os restaurantes universitários (RUs) e a Fundação Universitária Mendes Pimentel não funcionarão no período de 24 a 26 de fevereiro, feriado de Carnaval e recesso escolar na UFMG.

Ainda com a Universidade em período de férias, os bandejões não funcionam aos sábados. Na quinta e sexta-feira, 27 e 28 de fevereiro, o Setorial 2 servirá almoço e jantar. Os restaurantes dos campi Saúde e Montes Claros abrem no horário do almoço. O Setorial 1 e o bandejão da Faculdade de Direito permanecem fechados até o fim das férias escolares.

A partir de 2 de março, início do semestre letivo na UFMG, todos os restaurantes universitários voltarão a funcionar normalmente.

Capacidade de produção
De acordo com a Fump, responsável pela gestão dos restaurantes universitários, as cinco unidades têm capacidade para produzir cerca de 12 mil refeições diárias. Em um ano, são preparadas mais de 2,6 milhões de refeições, sendo 900 mil para os estudantes assistidos pela UFMG classificados nos níveis socioeconômicos I, II, III, IV-A e IV-B.

 

 

 

A partir de bactérias isoladas de queijos artesanais da região do Norte de Minas, pesquisadores do Instituto de Ciências Agrárias (ICA) da UFMG desenvolveram um leite fermentado com microrganismos vivos benéficos à saúde humana.

Rico nutricionalmente, o probiótico (produto alimentar que contém micro-organismos vivos cuja ingestão gera benefícios para a saúde) oferece benefícios como melhora da imunidade e complemento de vitaminas, além de ter baixo custo.

O produto foi desenvolvido a partir da avaliação em laboratório de 15 amostras de queijos da região. Após as análises, as bactérias apresentaram resultados positivos em todos os testes, apontando que o produto está apto para consumo humano.

A pesquisa foi desenvolvida pela nutricionista Amanda Cristina Mendes Gusmão, como dissertação de seu mestrado em Produção Animal.

O produto foi pauta da edição desta semana do programa Veredas da Ciência: pesquisas e projetos do Norte de Minas, veiculado pela Rádio UFMG Educativa Montes Claros. A produção e a reportagem são de Amanda Lelis.

 

Acesse a edição online clicando no link: http://bit.ly/2HjzG00

 

 

– O concurso de Rei e Rainha será realizado às 19:40;

– O concurso de fantasias (infantil e adulto) será realizado de 21:00 às 21:30;

– Só poderão participar sócios e dependentes (Assufemg e Sindifes).

Notícias por categoria
Notícias anteriores
Comentários