Get Adobe Flash player

UTILIDADE

Página 4 de 16912345678910...203040...Última »

 

 

Está no ar a Edição 1269 do Pinga Fogo!

Acesse clicando no link: http://bit.ly/2lkZYYh

 

 

O projeto de extensão Iniciação Esportiva busca promover o aprendizado de diferentes habilidades básicas esportivas, sem focar especificamente em uma única modalidade. A iniciação esportiva é fundamental para formar uma base de coordenação e habilidades motoras, bem como estimular a criatividade dos alunos durante o jogo. As atividades envolvem exercícios e jogos com bola utilizando as mãos, os pés e bastões/raquete, de maneira lúdica, criativa e envolvente. Espera-se que uma boa iniciação esportiva melhore o desenvolvimento e a aprendizagem dos esportes nas idades seguintes.

O projeto de extensão Iniciação ao Basquete busca promover o aprendizado do basquetebol de maneira lúdica e criativa, com exercícios e jogos para desenvolver as diferentes habilidades e formas de atuação no jogo de
basquetebol. Os alunos são estimulados a participar de festivais de basquete promovidos pela Federação Mineira de Basketball uma vez por mês, aos sábados,como mais um momento de aprendizagem e participação no esporte. O aprendizado do jogo pelo aluno ocorre gradualmente e em paralelo com valores humanos relacionados à disciplina, trabalho em equipe, respeito aos colegas,professores e árbitros, em um ambiente descontraído e estimulante.

O projeto é desenvolvido pelo CECA – Centro de Estudos em Cognição e Ação – grupo de estudos da Escola de Educação Física da UFMG que investiga os diferentes métodos de ensino dos esportes há mais de 20 anos.

Para dúvidas e mais informações, entre em contato:

E-mail: cecaesportes@gmail.com
Telefone: (31) 3409-2329
Instagram: cecaesportesufmg

 

 

 

O Ministério Público Federal (MPF) em Belo Horizonte ajuizou ação civil pública contra o bloqueio de recursos da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), pedindo que a Justiça Federal não só suspenda o contingenciamento, como proíba novos bloqueios por parte da União. Ações de mesmo teor foram propostas também para garantir a integralidade do orçamento do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG) e do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet/MG), que também têm sede na capital mineira.

Para a Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, o contingenciamento viola a autonomia das instituições, em desrespeito a leis federais e à própria Constituição. Além disso, na avaliação do MPF, o contingenciamento imposto pelo MEC não tem suporte jurídico, econômico e financeiro, nem foi formalizado em “atos jurídicos motivados, restritivos da execução orçamentária das aludidas instituições, sendo comandos executados por ordem do ministro da Educação que bloqueiam a disponibilidade das verbas no sistema, (…) ao arrepio dos princípios e regras mais elementares do Estado Democrático de Direito”.

Caso a Justiça não defira o pedido de suspensão do bloqueio, o MPF pede que ao menos seja assegurada a continuidade dos serviços prestados pelas instituições de ensino até o final de 2019, tornando sem efeito o contingenciamento das verbas destinadas ao pagamento de despesas de infraestrutura, como água, luz, gás, locação de imóveis, contratos de segurança, conservação e limpeza, além dos recursos para bolsas e projetos de pesquisa e extensão já programados ou em execução.

Conforme as instituições federais de ensino superior da capital mineira demonstraram à Procuradoria Federal, as instituições se programaram para uma execução orçamentária já insuficiente para a manutenção das atividades com qualidade, considerando que não houve aumento proporcional ao crescimento dos gastos na previsão orçamentária de 2019. Entretanto, em maio, quando as instituições já haviam executado cinco meses do orçamento anual, o governo federal anunciou o contingenciamento.

Na UFMG, foram bloqueados R$ 64,5 milhões. No IFMG, o corte foi de R$ 27,9 milhões, e no Cefet-MG, da ordem de R$ 33,9 milhões. Segundo a reitora Sandra Regina Goulart Almeida, “todo o planejamento havia sido feito para lidarmos com um montante e, uma vez que são atividades de manutenção de ensino, não há onde cortar para nos adequarmos a um novo orçamento que é de todo insuficiente”, explica.

Nas ações em que solicita a suspensão dos cortes, o MPF lembra que o orçamento da União aprovado para 2019 foi da ordem de R$ 3,38 trilhões, não tendo havido notícia de queda acentuada de arrecadação e contingenciamento em percentual correspondente aos cortes anunciados pelo governo federal.

Questionado, o Ministério da Educação respondeu que o orçamento do ensino superior seria maior do que o da educação básica. Porém, o MPF ressalta que “a educação superior tem maior participação no orçamento do MEC, uma vez que o ensino superior é de atribuição da União, enquanto a educação básica é de responsabilidade de Estados e Municípios, complementada com recursos da União (Fundeb). Desse modo, o orçamento do MEC destinado à educação básica tem a função de apoiar os estados e municípios, pois a responsabilidade direta é destes últimos”.

Ações também pedem volta de FGs
Além do descontigenciamento dos recursos orçamentários das federais com sede em Belo Horizonte, a Procuradoria Regional do Cidadão também solicitou que seja anulado o Decreto nº 9725/2019, que extinguiu parte das chamadas FGs (funções gratificadas), complementação salarial destinada a remunerar o exercício de atividades não previstas nos cargos originários.

Segundo o MPF, a extinção dessas funções só poderia ser feita por lei e não por decreto. Além disso, ao fazê-lo, o governo federal interferiu diretamente na autonomia das instituições de ensino, extinguindo funções gratificadas sem que houvesse qualquer mudança em responsabilidades ou no organograma.

A extinção das FGs (320 no total) motivou a UFMG a oficiar o Ministério Público Federal de Minas Gerais em Belo Horizonte, ao qual informou que a medida “repercute de forma negativa na prestação dos serviços públicos, considerando que a força de trabalho dos setores administrativos estará comprometida em razão da dificuldade de alocar servidores e cargo de chefia para assumirem responsabilidades além daquelas previstas para o seu cargo”, com consequências administrativas e acadêmicas, para o ensino, a pesquisa e a extensão.

Na UFMG, foram extintas 391 funções; no IFMG, 74, e no Cefet-MG, 320 FGs. Os servidores técnico-administrativos em educação no exercício dessas funções são responsáveis por setores como contabilidade, compras, almoxarifado, tecnologia da informação, entre outros.


 

 

 

Milton Hatoum é o convidado de nova edição do Encontro Marcado, que acontece no dia 17 de setembro de 2019, às 18h, na sede do Acervo de Escritores Mineiros da UFMG. O evento é gratuito e aberto ao todos. Mediada pelo pós-doutorando em estudos literários (e poeta) Kaio Carmona, a conversa vai abordar temas variados ligados ao universo da literatura e sobre a vida e a obra do autor amazonense.

Realizado ao longo do semestre letivo – sempre na última quinta-feira do mês –, o Encontro Marcado tem o objetivo de fomentar o debate público acerca da literatura brasileira contemporânea e despertar talentos literários, além de dar a conhecer o Acervo de Escritores Mineiros, importante espaço de pesquisa e memória da literatura nacional.

Hatoum

Milton Hatoum (http://www.miltonhatoum.com.br) nasceu em Manaus em 1952. Estudou arquitetura na USP e estreou na ficção com Relato de um certo Oriente, publicado em 1989 e vencedor do prêmio Jabuti de melhor romance do ano. Seu segundo romance, Dois irmãos, de 2000, mereceu outro Jabuti e foi traduzido para doze idiomas e adaptado para a televisão, teatro e quadrinhos. Com Cinzas do Norte, de 2005, Hatoum ganhou os prêmios Jabuti, Bravo!, APCA e Portugal Telecom. Em 2006, lançou A cidade ilhada, uma reunião de contos breves.

Em 2008, sua primeira novela, Órfãos do Eldorado, foi adaptada para o cinema, e em 2013 teve suas crônicas reunidas em Um solitário à espreita. É colunista dos jornais, O Estado de S. Paulo e O Globo. Em 2017, recebeu do governo francês o título de Officier de L’Ordre des Arts et des Lettres. (Fonte: Cia das Letras)

Realização
Acervo de Escritores Mineiros (AEM-UFMG) em parceria com o Programa de Pós-graduação em Estudos Literários da Faculdade de Letras, CAPES, a Faculdade de Letras -e a Biblioteca UFMG

Evento aberto ao público

Classificação: Livre

Serviço

17 de setembro de 2019

18h

Biblioteca Central – 3º andar – espaço da exposição O Laboratório do Escritor

Entrada franca

(31) 3409-6079

Campus Pampulha UFMG – Av. Antônio Carlos, 6627 – Belo Horizonte – MG

 

 

Estudantes, servidores técnico-administrativos e professores poderão expor seus projetos acadêmicos, técnicos e artísticos em diversas unidades da Universidade de 14 a 18 de outubro. Essa é a 28ª edição do evento, que também compõe a programação da 16ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT).

O tema Educação de qualidade para o desenvolvimento sustentável é inspirado na proposta conceitual da SNCT: Bioeconomia: diversidade e riqueza para o desenvolvimento sustentável. Nesta edição, as tradicionais exposições de pôsteres da Semana de Graduação darão lugar a apresentações orais para bancas avaliativas. O formato elimina a necessidade de produzir material físico, estimula a interação de pares e é economicamente mais sustentável.

A abertura da Semana será integrada a uma edição do ciclo de conferências Tempos presentes, ainda sem confirmação de convidado. Outros destaques serão os eventos promovidos pela Diretoria de Assuntos Culturais (DAC) e a Feira Agroecológica.

Todas as informações necessárias para a inscrição estão disponíveis no site da Semana do Conhecimento: https://www.ufmg.br/semanadoconhecimento/
Dúvidas podem ser solucionadas pelo e-mail semanadoconhecimento@ufmg.br ou pelos telefones (31) 3409-6472 / 4562.


 

 

Inscrições abertas até 30/09 na secretaria da sede da Assufemg de 8h às 16:30h (somente para sócios e dependentes).

 

Informações, entre em contato pelo telefone: 3439-8110

 

 

‘Serôdia em Minas’ é o nome do show que Daniel Souza Quarteto apresenta no Quarta Doze e Trinta do dia 11 de setembro, às 12h30, na Praça de Serviços da UFMG. Formado por guitarra, saxofone, bateria e baixo, o grupo apresenta um repertório autoral, além de uma interpretação da canção ‘Clube da Esquina nº2’, de Milton Nascimento e Lô Borges. O evento é gratuito e aberto ao público externo. Mais informações pelo telefone (31) 3409-6411.

Guitarrista e compositor, Daniel Souza é aluno da Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais e da Bituca Universidade de Música Popular. Ele foi um dos vencedores do concurso BDMG Jovem Instrumentista 2018, projeto que visa formar e incentivar novos instrumentistas de até 25 anos.

Segundo o artista, a inspiração para a sonoridade e o contexto das composições do show vieram da música mineira. “São muitos os artistas que influenciam o grupo, como: Juarez Moreira, Toninho Horta, Milton Nascimento, Lô Borges, Pat Metheny e não esquecendo também dos músicos e compositores da nova geração que tenho profunda admiração pelo trabalho: Frederico Heliodoro, Matheus Barbosa, Marcus Abjaud, Rafael Martini, Felipe Continentino, Josué Lopez e entre outros”, comenta.

SERVIÇO
Quarta Doze e Trinta – Daniel Souza Quarteto apresenta ‘Serôdia em Minas’
Data: 11 de setembro
Horário: 12h30
Local: Praça de Serviços – Campus Pampulha – UFMG
(Av. Antônio Carlos, 6627 – Pampulha)
ENTRADA FRANCA

Página 4 de 16912345678910...203040...Última »
Notícias por categoria
Notícias anteriores
Comentários