Get Adobe Flash player

UTILIDADE

Página 4 de 1612345678910...Última »
Na manhã de ontem, a UFMG recebeu a primeira visita da cônsul geral dos Estados Unidos em Belo Horizonte, Katherine Earhart Ordoñez, que está na capital mineira há cerca de um ano. A Universidade mantém parceria de longa data com instituições norte-americanas e agora vislumbra a possibilidade criar novas formas de cooperação internacional, em projetos de cultura e pesquisa – em especial com o CTVacinas, que dará origem ao Centro Nacional de Vacinas, resultado de parceria entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e o governo de Minas Gerais.
Segundo a cônsul, que esteve acompanhada da representante do Departamento de Comércio da Embaixada e consulados dos Estados Unidos no Brasil, Vânia Resende, a primeira visita presencial a uma universidade teve várias motivações. “Uma delas é que a embaixada e o consulado têm muitos projetos em conjunto com a UFMG, como os convênios de cooperação internacional, o Centro de Estudos Norte-americanos, que fortalece os laços com professores, estudantes e pesquisadores, a Cátedra Fulbright e o escritório do Education USA, lançado neste ano”, enumerou.
A outra motivação, contou Katherine Ordoñez, foi conhecer pessoalmente os gestores e, especialmente, a professora da Faculdade de Farmácia e pesquisadora do CTVacinas Ana Paula Fernandes, uma das sete vencedoras do prêmio Mulheres brasileiras que fazem a diferença, edição 2021, concedido pelas representações diplomáticas dos Estados Unidos no Brasil.
Reconhecimento
A cônsul enfatizou a importância de se reconhecer o trabalho das cientistas, especialmente da área da saúde, e do esforço realizado por elas para promover a ciência e aumentar a capacidade de enfrentamento da covid-19. “Sabemos que a ciência é importante para a sociedade, mas, neste momento, todos nós esperávamos que o seu papel tivesse um impacto maior em nossas vidas. E a professora Ana Paula Fernandes se destacou pela liderança na promoção da ciência e da comunidade científica no assessoramento das políticas de saúde”, afirmou.
Ana Paula Fernandes, que também coordena a área de diagnóstico de covid-19 da Rede Vírus do MCTI, afirmou que “a visita da cônsul é muito importante, porque sinaliza para um grande potencial de cooperação do Centro Nacional de Vacinas com instituições de pesquisa dos Estados Unidos, o que inclui desde parcerias com empresas até a complementariedade de competências para a produção de vacinas, testes diagnósticos e fármacos”.
A professora aproveitou a ocasião para mostrar o certificado da premiação, que segundo ela “é motivo de muito orgulho, porque incentiva outras mulheres a enfrentar o ambiente da ciência, que é desafiante, mas muito compensador”.
A reitora Sandra Regina Goulart Almeida, que recebeu a cônsul dos EUA na companhia do vice-reitor Alessandro Fernandes Moreira, do diretor de Relações Internacionais, Aziz Tuffi Saliba, e da diretora da Faculdade de Farmácia, Leiliane Coelho André, reafirmou a expectativa de que novas parcerias, inclusive na área da cultura, sejam efetivadas. Ela também aposta na participação da UFMG em diversos editais do governo norte-americano.
Após a visita à Reitoria, Katherine Ordoñez e Vânia Resende conheceram as instalações do CTVacinas, no Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BH-Tec), responsável pelo desenvolvimento da SpiN-TEC, vacina contra a covid-19.
Fonte: Teresa Sanches (ufmg.br)
O Dia Mundial do Diabetes, celebrado em 14 de novembro, foi uma data escolhida pela Federação Internacional de Diabetes (IDF) e pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para reforçar a conscientização a respeito da doença, principalmente para evidenciar a importância da prevenção e oferecer alternativas para as dificuldades enfrentadas pelos pacientes.
Até 1º de dezembro, a UFMG promove o Novembro Negro, evento que aproveita o mês da consciência negra para promover reflexões sobre racismo, inclusão e pertencimento. Neste ano, com o tema Vozes e corpos que se afirmam, a programação busca dar visibilidade à pluralidade presente na comunidade universitária e possibilitar a afirmação das identidades e das experiências, além de debater as condições de permanência dos estudantes no ensino superior, uma vez que esse aspecto é influenciado por questões étnicas, raciais, de gênero, sexualidade e de deficiência.
Segundo a diretora de Políticas e Ações Afirmativas da Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (Prae) da UFMG, Daniely Fleury, o tema deste ano foi uma construção coletiva. “A proposta era trazer um tema que reafirmasse, no panorama da universidade, as políticas afirmativas já existentes. O ano de 2021 representa um marco importante para repensarmos as ações afirmativas no Brasil, visto que celebramos 20 anos da III Conferência Mundial contra o Racismo promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU), em Durban, na África do Sul. Foi a primeira vez que o Brasil pensou em medidas de reparação e superação do racismo”, explica.
A programação do evento, que teve sua primeira edição em 2018, está sendo construída de forma coletiva ao logo do mês. Qualquer pessoa da comunidade acadêmica, seja professor, aluno, servidor ou terceirizado, pode cadastrar atividades, no hotsite do evento: https://www.ufmg.br/novembronegro/cadastre-sua-atividade/ Atividades presenciais poderão ser sugeridas desde que seguidos os protocolos de segurança sanitária.
Até o momento, a programação conta com lançamento de livros, oficinas, palestras, rodas de conversas, shows e performances e apresentações artísticas, em parceria com a Diretoria de Ação Cultural (DAC). A novidade desta quarta edição é uma mostra de vídeos permanente e virtual, com conteúdos relacionados aos saberes tradicionais.
Interseção de identidades
“A mostra permite que sejam ampliadas as vozes de quilombolas e indígenas, que também integram o contexto das ações afirmativas. Quando falamos de vozes e corpos que se afirmam, estamos dando visibilidade, neste mês, à temática racial. Porém, no contexto de vozes presentes na UFMG, ressaltamos a necessidade de interseccionalizar raça, gênero e etnia. A temática racial leva em conta as relações das outras identidades que nos compõem. Eu, por exemplo, sou uma mulher e negra. Essas duas dimensões da minha identidade atuam juntas”, sugere Fleury.
Para Luiza Datas, estudante de Letras e membro do Coletivo Afronte! e do Movimento Negro da UFMG, o Novembro Negro possibilita que os estudantes reafirmem as suas histórias, além de ajudar na conquista de mais pessoas para a luta antirracista. “Desde a implementação das políticas de cotas, vemos mais negros ingressarem na UFMG, o que favorece o movimento negro educador, que é importante porque ajuda a universidade a lidar com esses alunos. Estamos vivendo uma crise social que afeta, em maior número, a população negra. Daí a importância de debatermos, durante todo o mês de novembro, a construção coletiva de uma universidade com práticas antirracistas”, conclui.
Veja a programação do Novembro Negro, disponível no hotsite do evento.
Fonte: Luana Macieira (ufmg.br)
Um total de 50.874 pessoas compõe o contingente apto a participar da consulta à comunidade que subsidiará a elaboração da lista tríplice que será encaminhada ao Presidente da República para designação do novo Reitorado da UFMG. São 3.066 docentes, 4.159 servidores técnico-administrativos e 43.649 discentes, entre estudantes de graduação, de pós-graduação, de residência médica e aqueles vinculados à Escola de Ensino Básico e Profissional (Ebap), com mais de 16 anos.
Apenas 51 dos 853 municípios mineiros têm um eleitorado maior do que o da UFMG, de acordo com a última atualização divulgada pelo Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), em 2020.
A votação será realizada nesta quinta-feira, 11 de novembro, e, pela primeira vez, ocorrerá de forma remota pelo sistema de consultas da UFMG (assista ao vídeo da TV UFMG que explica como votar). Conforme o regulamento da consulta, os votos serão apurados de acordo com a seguinte ponderação: 70% para docentes, 15% para discentes e 15% para técnico-administrativos.
Voto seguro
O voto, secreto, não poderá ser exercido por correspondência, por procuração, em separado ou por qualquer outra modalidade alheia ao sistema de consultas, que tem garantias de criptografia para impedir a interceptação do voto via internet, a quebra do seu sigilo ou sua alteração por terceiros. A votação ocorrerá das 8h às 20h.
A chapa UFMG Plural é a única inscrita no processo. A atual reitora, Sandra Regina Goulart Almeida, e o atual vice-reitor, Alessandro Fernandes Moreira, tentam novo mandato.
Sandra é graduada em Letras pela UFMG, tem mestrado e doutorado pela Universidade da Carolina do Norte e pós-doutorado em Literatura Comparada pela Universidade Columbia, em Nova York. Professora da área de Estudos Literários da Faculdade de Letras, preside a Associação de Universidades Grupo Montevidéu (AUGM) e é vice-presidente da World University Network (WUN). Foi vice-reitora na gestão 2014-2018 e diretora de Relações Internacionais.
Alessandro é graduado e mestre em Engenharia Elétrica pela UFMG, doutor pela University of Wisconsin-Madison e tem extensa trajetória na Escola de Engenharia da UFMG, onde foi coordenador do curso de Engenharia Elétrica, do Conselho de Coordenadores de Cursos de Graduação, vice-diretor e diretor.
Mais informações sobre o processo eleitoral estão disponíveis no site da consulta. Propostas da chapa UFMG Plural podem ser consultadas na página oficial da campanha: https://www.ufmg.br/ufmgplural/ .No dia da votação, dúvidas poderão ser esclarecidas pelo telefone 3409-6499 ou pelo e-mail consultas-suporte@cac.ufmg.br.
Fonte: ufmg.br
Neste ano, a Semana do Servidor UFMG, que será realizada de 8 a 13 de novembro, traz como tema para reflexão Avanços e retrocessos na legislação do servidor público federal – desafios e possibilidades. Serão realizadas três mesas de debates, com a participação de juristas, para esclarecer os impactos das recentes mudanças legislativas nos processos de trabalho das instituições federais, na carreira e aposentadoria dos servidores.
“A Semana do Servidor é o momento para dialogarmos e explicitarmos, com a ajuda de especialistas, os aspectos agravantes e facilitadores suscitados pelas recentes mudanças, especialmente pela PEC 32/2020, que trata da reforma administrativa”, afirma a pró-reitora adjunta de Recursos Humanos, Leônor Gonçalves. O objetivo, acrescenta ela, é que as pessoas “compreendam o que está proposto, além dos desafios e possibilidades para os servidores e o setor público”.
Assim como as mesas de debates, as demais atividades, como as oficinas para desenvolvimento na carreira, atividades lúdicas, ginástica, pilates, ergonomia e apresentações culturais, ocorrerão no formato virtual. A transmissão será pelo canal da Coordenadoria de Assuntos Comunitários (CAC) no YouTube.
Os tradicionais campeonatos de futsal, a corrida e a caminhada, e os mais recentes torneios de tênis e de peteca permanecem na programação, mas com número reduzido de participantes, para cumprimento dos cuidados sanitários necessários por causa da pandemia.
O concurso de fotografia, pintura e poesia possibilitará aos servidores expressar seus sentimentos sobre os quase dois anos de reclusão. A mostra dos trabalhos será aberta na segunda-feira, dia 8, e o resultado do concurso será divulgado na sexta-feira, dia 12, às 16h30.
Uma novidade desta edição, informa Leônor Gonçalves, é o lançamento do site da Semana do Servidor. Segundo ela, a página funcionará como um “memorial das atividades realizadas desde 2011, que ficará disponível para a comunidade como forma de valorizar o evento”.
Formação, esporte e cultura
A programação, que inclui atividades nos três turnos, será aberta na segunda-feira, 8, das 9h às 10h. Na parte da tarde e à noite haverá oficinas sobre comunicação não violenta, saúde mental, iogaterapia e pilates.
As três mesas-redondas que tratarão da temática central da Semana serão realizadas a partir do dia 9. Na terça, das 9h às 12h, o tema são os Avanços e retrocessos na legislação previdenciária/aposentadoria do servidor público federal: desafios e possibilidades. Na quarta-feira, das 9h às 12h, os servidores refletirão sobre Avanços e retrocessos da Reforma Administrativa – PEC 32/2020. E a terceira mesa será na quinta-feira, 11, das 14h às 17h, para tratar da Previdência complementar dos servidores públicos federais, mediante as modificações da legislação, quem deve ou não aderir.
A apresentação Encontro de violas estreia na programação do Circuito Cultural UFMG, promovido pela Diretoria de Ação Cultural (DAC), uma das apoiadoras da Semana. A primeira edição reunirá Quincas da Viola, Wilson Dias e Gustavo Guimarães, com participação especial de Dito Rodrigues. O show será transmitido simultaneamente nos canais da CAC e da DAC na plataforma YouTube.
Acompanhe a programação no site do evento: https://www.ufmg.br/semanadoservidor/programacao/
Fonte: ufmg.br
Página 4 de 1612345678910...Última »
Notícias por categoria
Notícias anteriores
Comentários