Get Adobe Flash player

UTILIDADE

.

Bombou o XIV Arraiá da Assufemg, a nossa tradicional Festa Agostina. O evento aconteceu na sexta-feira, 03 de agosto de 2018, no Espaço Cultural da Assufemg.

.

O local, inclusive, estava lotado. Centenas de pessoas dançaram e se divertiram com o Casamento na Roça, Quadrilha e, claro, com shows de Quincas da Viola & Trem de Minas, Tau Brasil & Banda e Emerson Bastos contando os melhores causos.

.

Veja um pouco como foi a festa!

.

..

.

#AssufemgViva!

.

Uma multidão lotou o Espaço Cultural da Assufemg, na última sexta-feira, 03 de agosto. Centenas de pessoas dançaram e se divertiram no XIV Arraiá da Assufemg – Festa Agostina 2018.

.

A  já tradicional atividade no calendário da entidade bombou, mesmo tendo a chuva como contra tempo. “É com muita alegria que recebemos todos nesta festa. A presença de cada é importantíssimo para nós, para que possamos fazer um evento cada vez melhor”, pronunciou Márcio Flávio dos Reis, presidente da associação, durante a festividade.

.

A noite começou com o casamento na roça, onde sócios, diretores e amigos da Assufemg encenaram a típica peça caipira. Logo depois, a Quadrilha abrilhantou o local, com muita dança e tradição. O conjunto foi ensaiado e marcado pelo professor Jefferson Fonseca, que realiza as aulas de dança no Projeto Saúde Ativa Assufemg.

.

A primeira atração musical da noite foi Quincas da Viola e o Trio Trem de Minas, que tocaram o que há de melhor da música caipira. O repertório vasto foi um convite à dança na pista do Espaço Cultural. O artista Emerson Bastos intercalava o show contando os melhores causos caipiras, divertindo o público.

.

Fechando a noite, Tau Brasil e Banda fizeram todos arrastarem o pé, com o melhor do forró, desde Luiz Gonzaga até Rastapé, fazendo com que ninguém fosse embora até o fim da festa.

.

Você confere o álbum completo de fotos acessando nossa página no Facebook.

.

#AssufemgViva!

 

.

A UFMG, através da reitora Sandra Regina Goulart Almeida, manifestou apoio incondicional às preocupações da Capes, agência de fomento à pós-graduação, com a possibilidade de cortes no orçamento para 2019.

.

Em ofício ao ministro da Educação, Rossieli Soares da Silva, tornado público nesta semana, o presidente da Capes, Abílio Baeta Neves, adverte sobre os impactos para a pós-graduação, para a formação de profissionais da educação básica e para a internacionalização, caso se concretize o corte dos repasses previsto pelo MEC à Capes para 2019.

.

Segundo o ofício da Capes, a agência foi informada de limitações do orçamento para 2019, que representariam redução significativa em relação a este ano. Uma das consequências seria a suspensão do pagamento de bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado a partir de agosto do próximo ano.

.

“A redução do orçamento da Capes, caso venha a se efetivar, terá enorme impacto sobre todo o sistema de educação superior do país. Os prejuízos para a pós-graduação seriam irrecuperáveis”, afirmou a reitora da UFMG, acrescentando que o momento é de mobilização das instituições de ensino superior, de associações e de deputados e senadores em defesa da educação pública e de qualidade.

.

Aprovada pelo Congresso Nacional e já enviada para sanção presidencial, a LDO 2019 deve ser sancionada até 14 de agosto. O governo federal tem até 31 de agosto para encaminhar ao Congresso a Proposta de Lei Orçamentária (PLOA), que precisa ser aprovada até o fim do ano, tornando-se a LOA 2019 (Lei Orçamentária Anual).

.

Prejuízos

De acordo com informações da Capes, os cortes na pós-graduação atingiriam mais de 93 mil discentes e pesquisadores. Na área da educação básica, poderiam ser suspensos subsídios para cerca de 105 mil bolsistas a partir de agosto do ano que vem, com a interrupção de programas de iniciação à docência, de residência pedagógica e de formação de professores.

.

Limitações no orçamento também prejudicariam diretamente o sistema de educação a distância, com mais de 750 cursos em 110 instituições de ensino superior. Além disso, ainda segundo a Capes, corte significativo no orçamento ameaçaria a continuidade dos programas de fomento com destino ao exterior, acarretando prejuízos para as relações diplomáticas e, em última instância, para a imagem do Brasil.

.

(Com Sedecom/UFMG)

.

O dia dos pais está chegando e você não pode deixar de comemorar conosco, na Assufemg. Vem aí a Festa do Dia dos Pais! Sexta-feira, 10/08, a partir de 19h, no Espaço Cultural da Assufemg, atrás da Escola de Belas Artes.

.

Muitas atrações para o papai e toda sua família e amigos. Música ao vivo fica por conta de Elisa Pretinha, tocando os maiores sucessos da MPB, samba, hits nacionais e internacionais. A Cantina Pelego’s marcará presença com seus tradicionais petiscos e aquela cerveja gelada. O público também poderá se divertir com o bingo.

.

Os papais associados presentes à festa e em dia com a Assufemg irão concorrer ao sorteio de 3 super brindes! 1 churasqueira, 1 cafeteira elétrica e 1 vale brinde!

.

Não perca! A entrada é franca.

.

Informações: 3439-8110

.

#AssufemgViva!

.

O Pinga-Fogo, edição 1249, está no ar!

.

Você confere este e os outros clicando aqui.

.

Boa leitura!

.

#AssufemgViva!

.

A Organização de Aposentados e Pensionistas da UFMG (OAP) promove concursos de poemas e contos e outro de fotografia. Podem se inscrever associados da entidade, cônjuges e parentes de primeiro grau (pais e filhos), bem como professores, funcionários e alunos da UFMG e alunos das oficinas e cursos promovidos pela OAP.

.

Até 31 de agosto, o concurso recebe inscrição de contos e poemas. O concurso de fotografias, sobre o tema Cidades Invisíveis, permanece aberto até 28 de setembro. Serão distribuídos prêmios em dinheiro para os três primeiros lugares de cada categoria. A inscrição é gratuita somente para os associados. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (31) 3409-4505 e nos editais, na página da OAP.

.

Cada candidato poderá concorrer com apenas uma fotografia, em cores ou em preto e branco, impressa em papel fotográfico. As fotografias inscritas não serão devolvidas e passarão a integrar o acervo da OAP/UFMG. Somente serão aceitas fotografias inéditas.

.

Com sua participação no concurso, obrigam-se os autores a permitir a divulgação e a impressão dos trabalhos. Os contos e poemas vencedores poderão ser publicados nos Cadernos Temáticos da OAP.

.

(Com Sedecom/UFMG)

.

O SINDIFES orienta os Técnico-Administrativos em Educação, que ingressaram no serviço público antes e após fevereiro de 2013, a não aderirem a Funpresp-Exe (Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo). O modelo apresentado pelo governo nunca atendeu aos interesses dos trabalhadores, por isso a sua baixa adesão, principalmente porque não dá garantias aos servidores dos valores que receberão após anos de contribuição, ou mesmo de que a Fundação não irá ‘quebrar’, uma vez que depende de investimentos no mercado financeiro. Além disto, a adesão também implica na migração irrevogável e irretratável dos servidores do Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) para o Regime de Previdência Complementar (RPC).

.

Na avaliação do SINDIFES o servidor não deve optar pela adesão por arriscar anos de investimentos em um fundo que não é sólido. Segundo a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (PREVIC), dos 308 fundos de previdência complementar avaliados em 2017, 74 apresentaram má gestão e um déficit (prejuízo) total de mais de R$ 77 bilhões, o que demonstra a instabilidades destes fundos e a volatilidade diante do mercado.

.

A conjuntura econômica e política desfavorável aos trabalhadores e a dependência dos fundos em captar lucros no mercado financeiro, dificultam a recuperação desses prejuízos o que a longo prazo impactará nos valores que os servidores receberão (podem ser muito inferiores aos projetados na adesão, pois conforme informado, dependem exclusivamente do rendimento durante o período de aplicação) ou mesmo a quebra dos fundos (como já vimos em outros casos).

.

Desta forma, a orientação do SINDIFES continua a de não adesão à Funpresp por acreditar que o Regime Próprio de Previdência Social é melhor e deve ser defendido e fortalecido contra qualquer tentativa de criação de regime de previdência complementar.

.

(Via SINDIFES)

Notícias por categoria
Notícias anteriores
Comentários