Get Adobe Flash player

EDUCAÇÃO

Página 1 de 9123456789
O Hospital das Clínicas da UFMG/Ebserh está recrutando profissionais de saúde para participar de pesquisa nacional que avalia segurança e efetividade das vacinas contra a covid-19. O cadastro deve ser feito até o dia 30 de junho, no site do HC. Os atendimentos ocorrerão no Ambulatório Borges da Costa, um dos anexos do hospital, e os voluntários receberão ajuda de custo no valor de R$20, para custeio do transporte.
O estudo, intitulado SevaCov-Pro, ajudará a entender como funcionam as vacinas contra a covid-19 na vida real, ou seja, fora do ambiente controlado dos ensaios clínicos. Serão colhidos dados também sobre a duração da proteção nas pessoas que estão mais expostas ao vírus e a resposta imunológica após a vacina, entre outros aspectos.
Os voluntários devem ter tomado a primeira dose da Coronavac ou da Astrazeneca e não podem ter participado de nenhum outro ensaio clínico de vacinas. No primeiro atendimento presencial no HC-UFMG, o voluntário preencherá termo de consentimento livre e esclarecido, será entrevistado pela equipe e terá amostra de sangue coletada para dosagem de anticorpos neutralizantes contra o Sars-CoV-2.
O recrutamento começou em setembro de 2021 e já alcançou 3,5 mil pessoas em todo o Brasil. Essa primeira etapa foi restrita aos profissionais de saúde dos oito centros participantes do estudo, que é liderado pelo Hospital Universitário de Brasília (HUB). Na segunda fase, a expectativa é alcançar 10 mil voluntários.
Sobre a pesquisa
A SevaCov-Pro é um estudo de fase 4 que testa na vida real como funcionam os imunizantes aplicados em profissionais de saúde, avaliando segurança (desenvolvimento de reação adversa à vacina), efetividade (existência de diagnóstico da doença pós-vacinação e gravidade), imunogenicidade (resposta imunológica) e vigilância genômica (monitoramento de variantes do novo coronavírus).
O projeto é financiado pelo Ministério da Saúde e deve receber, até o final do estudo, R$ 13 milhões para custeio de insumos e contratação de profissionais especializados para condução do estudo.
Os centros de pesquisa participantes são o Hospital Universitário de Brasília, da Universidade de Brasília (HUB-UnB), o Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), o Hospital de Ensino da Universidade Federal de Pelotas (HU-UFPel), o Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (Humap-UFMS), o Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (HC-UFMG), o Hospital Universitário Antônio Cassiano Moraes, da Universidade Federal do Espírito Santo (Hucam-Ufes), o Complexo Hospitalar da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Hupe e PPC) e o Instituto Nacional de Cardiologia (INC). Os seis primeiros integram a Rede Ebserh/MEC.
As inscrições devem ser feitas em um dos seguintes links: https://calendly.com/sevacovproexterno01/30min e https://calendly.com/sevacovproexterna02/30min. As entrevistas serão feitas no Ambulatório Borges da Costa, que fica na Avenida Alfredo Balena, 190, bairro Santa Efigênia. Será preciso levar cartão de vacina, comprovante de vínculo com instituição de saúde e carteira profissional (dos conselhos regionais de Medicina e de Enfermagem, por exemplo).
Outras informações podem ser solicitadas pelo telefone (31) 98365-4516 (WhatsApp ou ligação).
Fonte: Assessoria de Comunicação do Hospital das Clínicas da UFMG/Ebserh
Escola de Música
Com 97 anos de existência, a Escola de Música da UFMG é uma das mais antigas instituições do gênero no Brasil e é responsável pela formação de diversas gerações de músicos atuantes tanto no país quanto no exterior. A comunidade da Escola de Música é formada pelo corpo docente, técnico-administrativo e discente, todos envolvidos na realização dos objetivos da Universidade. A atual sede da Escola de Música, no Campus da Pampulha, tem uma área de ocupação de 2.315 m2 e uma área construída de 4.575 m2.
A EMUFMG oferece os cursos de graduação (bacharelado e licenciatura), pós-graduação (especialização, mestrado e doutorado) e extensão (cursos permanentes e outros eventuais). A unidade possui um projeto de expansão do espaço acadêmico, o qual se encontra em construção. Possui também uma unidade anexa, o Centro de Musicalização Integrado (CMI), órgão complementar da Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais. Ele conta com uma equipe de professores, também pertencentes à Escola de Música, que trabalham conjuntamente com os técnicos administrativos.
A Escola de Música presta serviços à sociedade mineira e brasileira desde 1925, formando recursos humanos e produzindo conhecimento na área de música. Além das atividades de ensino, toda a comunidade da Escola de Música está envolvida na produção acadêmica, seja na pesquisa, na produção artística ou em projetos de extensão.
Colégio Técnico
O COLTEC foi criado em 1969, a partir de convênio celebrado entre o Conselho Britânico, a UFMG, o CNPq e o MEC, com a finalidade de atender à demanda de formação de profissionais técnicos de nível médio nas áreas de Patologia Clínica, Instrumentação, Eletrônica e Química.
Em 1981, o Conselho Universitário da UFMG estabeleceu, por meio da resolução 25/81 de 06 de novembro daquele ano, as diretrizes para o Centro Pedagógico, Unidade Especial formada pela Escola Fundamental e COLTEC, vinculado à FaE. Essas diretrizes gerais definiram a nova unidade como um espaço de experimentação pedagógica e curricular.
Até 1997, o Colégio Técnico ofereceu quatro cursos técnicos de nível médio na modalidade integrado, nos quais os alunos estudavam em horário integral. Em conformidade com o Art. 2º da Portaria no 646, de 14 de maio de 1997, a escola passou a oferecer Ensino Profissional, de nível técnico, concomitante ao Ensino Médio.
A implementação dessa reforma deu-se de forma gradual em virtude da cristalização sócio-histórica do tradicional modelo de ensino técnico do COLTEC, da dificuldade de operacionalização dos novos ordenamentos do ensino e da discussão, que persistiu até o final de 2000, sobre a inserção das escolas de Educação Básica e Profissional na estrutura universitária.
Até 2008 o COLTEC possuía 4 cursos técnicos, com ensino médio concomitante. No final do ano de 2008 foi aprovado o curso técnico de Informática, que começou a vigorar a partir do ano letivo de 2009. Nesse mesmo ano, graças a algumas alterações em alguns cursos, as vagas para os cursos técnicos passaram de um total de 136 para 176.
Com a aprovação da resolução nº 05 de 03 de maio de 2007 foi criada a Unidade Especial denominada Escola de Educação Básica e Profissional da UFMG, o Colégio Técnico compõe um do três centros de ensino da nova unidade, são elas: Centro Pedagógico (responsável pelo Ensino Fundamental); Teatro Universitário (responsável pelo ensino técnico de formação de atores) e o COLTEC (responsável pelo ensino técnico de nível médio). Atualmente o COLTEC está investindo na criação de novos cursos técnicos e continua atuando na área de formação de recursos humanos para a educação, sendo um campo para estágio curricular de alunos de cursos de graduação. Vários de seus docentes participaram, nos últimos anos, de iniciativas de renovação curricular para os ensinos fundamental e médio em colaboração com a Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais – SEEMG.
Fontes: https://musica.ufmg.br/ e https://www.coltec.ufmg.br/
Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) foi fundada no dia 21 de abril de 1939[1]. É formada pelos cursos de graduação de Filosofia (diurno e noturno), Ciências Sociais (diurno), História (diurno e noturno), Psicologia (diurno), Comunicação Social (diurno e noturno), Antropologia (noturno), Ciências Socioambientais (noturno), Gestão Pública(noturno), além de cursos de Pós-Graduação e Extensão. Alunos de outros cursos, como DireitoAdministração e Geografia, estudam obrigatoriamente pelo menos um semestre nesta faculdade.


O Centro Pedagógico tem sua origem no antigo Ginásio de Aplicação da UFMG, fundado em 21 de abril de 1954 no bairro Santo Antônio, em cumprimento aos dispositivos legais instituídos pelo Decreto Lei nº 9053.
Em 1958, o Ginásio de Aplicação foi renomeado para Colégio de Aplicação da Faculdade de Filosofia. Na ocasião, passou a oferecer os seguintes cursos: Ginasial, Científico, Clássico e Normal.
A partir de 1968, a UFMG passou por uma reestruturação que afetou também o Colégio de Aplicação. De acordo com os novos planos resultantes dessa política de reestruturação, o Colégio de Aplicação da Faculdade de Filosofia tornou-se um Centro Pedagógico, integrado à Faculdade de Educação da UFMG, com a função básica de ofertar cursos relativos ao ensino de 1º e 2º graus.
Em 1972, o Centro Pedagógico foi transferido para o campus da Pampulha e passou a ter uma escola de 1º Grau, funcionando em prédio próprio, e paralelamente, um Colégio Técnico, oferecendo cursos de aperfeiçoamento profissional de nível médio.
Em 1997, baseado em orientações da nova Lei de Diretrizes e Bases (LDB 9394/96), a Escola de 1º grau recebeu uma nova denominação: Escola Fundamental do Centro Pedagógico da Universidade Federal de Minas Gerais.
Em 2007, o Centro Pedagógico propriamente dito (orgão mantedor do Coltec e da escola fundamental) foi renomado para Escola de Educação Básica e Profissional, unidade especial cujo regimento foi aprovado pelo Conselho Universitário da Universidade Federal de Minas Gerais pela Resolução N.º 05/2007, de 3 de maio de 2007.[1] Assim Centro Pedagógico passou a ser o nome apenas da antiga escola fundamental.

A Junta Eleitoral reunida em 12/04/2022 vem, por meio de seu Presidente, conforme o calendário eleitoral, homologar a chapa inscrita para a Diretoria Executiva da Assufemg – Triênio 2022/2025 (”Assufemg – Missão, coragem e ousadia – Os desafios continuam”). Decidiu-se, também, homologar a chapa inscrita para o Conselho Fiscal da Assufemg – Triênio 2022/2025 (”Presente e Atuante”). Segue acima a homologação:

O Curso Intensivo de Preparação de Mão de Obra Industrial (Cipmoi) recebe inscrições, até 17 de abril, para a seleção de novos alunos das formações em Desenhista / Cadista para Construção Civil, Eletricista Instalador Predial de Baixa Tensão, Mestre de Obras e Tecnologia da Soldagem. São ofertadas 50 vagas para cada um dos cursos, que são gratuitos e serão ministrados a distância.
As inscrições devem ser feitas exclusivamente por formulário eletrônico. É permitida a inscrição em mais de um curso, mas, em caso de múltipla aprovação, o candidato será classificado apenas para aquele escolhido como primeira opção.
A carga total é de 80 horas, distribuídas em quatro módulos de 20 horas. O programa inclui conteúdos de nível técnico e conhecimentos de nível fundamental, como Comunicação, Relações Humanas, Informática e Matemática.
As aulas serão ministradas de maio a outubro, por meio do Caed Virtual, ambiente de aprendizagem do Centro de Apoio à Educação a Distância (Caed).
Os interessados devem ter 18 anos completos e atender aos requisitos de escolaridade mínima para cada curso, indicados no edital. Serão desconsideradas as inscrições realizadas fora do prazo, ou de candidatos que cursam ou já concluíram o Ensino Superior.
A coordenação fará até três chamadas, divulgadas no Facebook e no Instagram do Cipmoi, a fim de que todas as vagas ofertadas sejam preenchidas. A divulgação do resultado da primeira convocação está prevista para o dia 23 de abril, e as demais, para os dias 29 de abril e 5 de maio. O período de matrícula é de 23 de abril e 8 de maio.
Cipmoi digital
Projeto de extensão mais antigo da UFMG, o Cipmoi oferece, desde 1957, capacitação gratuita nas áreas de construção civil, elétrica e mecânica. As formações são destinadas a trabalhadores que já atuam nesses setores, mas têm pouco acesso a discussões sobre novas tecnologias e ferramentas que podem aprimorar seu desempenho.
As aulas são ministradas por graduandos da UFMG de diversos cursos, sob a supervisão de professores da Escola de Engenharia. O projeto, que capacita cerca de 200 profissionais todos os anos, conta ainda com monitores voluntários que acompanham as turmas.
Antes da situação de emergência sanitária, as aulas eram sediadas na Escola de Engenharia, no campus Pampulha.
Mais informações podem ser obtidas pelo email selecaocipmoi@gmail.com ou nas redes sociais do projeto.
Fonte: ufmg.br


Estão abertas as inscrições para o processo seletivo do Mestrado em Administração do Centro Universitário Unihorizontes para início das aulas em 29 de abril.

Desconto especial para os associados da ASSUFEMG, que passam a contar com 20% de desconto no valor das mensalidades e parcelamento do curso em até 48 vezes.

O Mestrado em Administração do Unihorizontes é autorizado pela Capes desde 2005 e já formou mais de 730 mestres. Como a Administração é uma área interdisciplinar, recebe alunos de várias áreas do conhecimento: Administração, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Direito, Enfermagem (e outras áreas da saúde), Engenharias, Psicologia, entre outras.

As aulas acontecem às sextas-feiras a noite e aos sábados pela manhã, facilitando a conciliação com o horário de trabalho.

Para saber mais sobre o processo seletivo entre em contato:
WhatsApp: (31) 9946-3716 – mensagem ou ligação
Telefone: (31) 3349-2925 ou 3349-2930
Email: secposgrad@unihorizontes.br
Página 1 de 9123456789
Notícias por categoria
Notícias anteriores
Comentários