Get Adobe Flash player

CULTURA

Página 1 de 3123

Até sexta-feira, 11 de fevereiro, estarão abertas as inscrições para candidatos a membros da Comissão Complementar à Autodeclaração Étnico-racial nos Processos Seletivos da UFMG. Seus integrantes são responsáveis por realizar o procedimento de heteroidentificação de candidatos negros (pretos ou pardos) e a avaliação de documentos de candidatos indígenas.
Podem se candidatar servidores docentes e técnico-administrativos em exercício efetivo e estudantes regularmente matriculados na graduação ou na pós-graduação. As inscrições devem ser feitas por meio de formulário on-line: https://bit.ly/3gw7nNw .
Segundo o presidente da Comissão Permanente de Ações Afirmativas e Inclusão da UFMG, professor Rodrigo Ednilson de Jesus, a composição dessas bancas deverá ser diversa em gênero, cor e raça. “Trabalhamos para diversificar cada vez mais a composição das bancas, reforçar a política de ações afirmativas da UFMG e propiciar o entendimento do processo de heteroidentificação a um público mais amplo”, afirma.
Todos os inscritos que atenderem aos critérios estabelecidos serão designados para compor a Comissão Complementar à Autodeclaração e serão convocados para atuar nas bancas ao longo do ano de 2022. Esse prazo poderá ser prorrogado, conforme interesse da UFMG.
Os servidores e estudantes escolhidos para a Comissão Complementar deverão participar de oficina de treinamento. Mais informações podem ser solicitadas pelo e-mail cpaai@gabinete.ufmg.br.
Saiba mais sobre as bancas neste vídeo produzido pela TV UFMG.
Fonte: ufmg.br
Atividades estão associadas à Jornada de Diretos Humanos da UFMG e ao Festival de Arte Negra. Estão programadas lives, roda de conversa e atrações artísticas, que serão transmitidas gratuitamente no canal da Diretoria de Ação Cultural da UFMG no YouTube. Durante toda a semana, também estará on-line a exposição Movências: (trans) figurações.livro.tempo.
A programação foi viabilizada pelo projeto Políticas de Cultura para a Juventude e Coletivos da Zona Cultural da Praça da Estação. em parceria com a Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (Prae), a Universidade dos Direitos Humanos da Pró-reitoria de Extensão (Proex), o Centro de Estudos Africanos da UFMG e o Centro de Referência das Juventudes (CRJ) da Prefeitura de Belo Horizonte.
Acompanhe a programação:
6 e 7/12 – Fórum em defesa dos direitos da população em situação de rua em Belo Horizonte
Nos dias 6 e 7 de dezembro, o Centro Cultural UFMG transmite, em seu canal do YouTube, o Fórum pelos direitos da população em situação de rua à cidade e à cultura. O evento tem a proposta de unir esforços para buscar o fortalecimento da agenda de luta pelos direitos da população em situação de rua, cuja situação agravou-se de forma alarmante nos últimos dois anos, marcada pelo desamparo diante da crise sanitária e humanitária que assola o mundo.
7/12, às 17h30 – Live Prospecção de uma clínica latina
Serão exibidas gravações e fotos produzidas pelos participantes do Furo: Escutas em psicanálise ‒ Projeto ético-estético-político, que retratam a coexistência, na Praça da Estação, de escutadores silenciosos e militares em marcha. Também abordam as congruências do contexto latino-americano, que vão dos protestos no Chile à mobilização de psicanalistas a favor da democracia. O projeto Furo propõe a ampliação da escuta clínica psicanalítica gratuita no território da cidade e intervenções articuladas à cultura de Belo Horizonte.
7/12, às 19h – Roda de conversa Transfluências: mova-se
Celebrando a exposição Movências: (trans) figurações.livro.tempo, a live promove o encontro entre artistas, suas criações, leituras, seus processos e as significações possíveis. O evento reúne Fernando Mencarelli, diretor de Ação Cultural da UFMG, Wilson de Avellar, artista multimídia, curador e coordenador da Área de Artes Visuais, Isabel Miranda, artista multimídia e expositora, Jonata Vieira, artista multimídia e expositor, e Rafael Fernandes, artista e professor da Área de Artes Visuais
9/12, às 21h – Vídeodocumentário das danças urbanas em Belo Horizonte #MovimentoEmCenaBH
A produção pretende amplificar a mostra coreográfica Direito à cultura nas quebradas, realizada em março deste ano no Festival de Verão UFMG. Quatorze artistas participaram do documentário, que tem duração de 35 minutos. Seus trabalhos são focados nas danças urbanas, alguns deles com fortes raízes nas culturas negras.
10/12, às 17h – Videoperformance autoral Carolinas | Grupo de Teatro Mulheres de Luta
A performance reflete as vivências e escritas dos corpos das atrizes que compõem o Grupo de Teatro Mulheres de Luta, em movimento que transcende a luta pelo direito à moradia, à educação, à saúde, à justiça e à cidadania plena. O coletivo, fundado em 2017, reúne moradoras da ocupação Carolina Maria de Jesus, no centro de Belo Horizonte.
10/12, às 20h – Sarau De Quebrada – não procure no centro
Organizado pela produtora cultural A|Borda, reúne poetas e slammers da Região Metropolitana de BH, que usam seus corpos e vivências para expressar sua arte por meio da escrita e fala. Nesta edição, o sarau reúne artistas marginais negros, que circulam pela cidade com trabalhos que valorizam a existência, a resistência, a reconstrução da memória, a identidade e as raízes ancestrais.
Exposição virtual Movências: (trans) figurações.livro.tempo
A mostra reúne produções de artistas de Belo Horizonte que circulam, trabalham, estudam e desenvolvem ações artísticas e culturais na Praça da Estação e em seu entorno. São criações em artes visuais (desenho, pintura, escultura, gravura, fotografia, performance-arte), música, manifestações da cultura popular e tradicional, artes da palavra e cinema. A exposição, que tem Wilson de Avelar como curador, pode ser visitada neste site: https://www.movencias2021.com/ .
Fonte: ufmg.br
Página 1 de 3123
Notícias por categoria
Notícias anteriores
Comentários