Get Adobe Flash player

CULTURA

Página 1 de 7612345678910...203040...Última »

 

 

Ópera de Wolfang Amadeus Mozart será reapresentada em formato de bolso, com direção de Mônica Pedrosa, regência de Lincoln Andrade e Paulo Rocha e participação do Coral daFaculdade de Medicina da UFMG.

O projeto de extensão Ópera Studio, da Escola de Música da UFMG, reapresenta, em formato de bolso, nos dias 22 e 23 de agosto, às 17h30, a ópera La Clemenza di Tito, última ópera escrita por Mozart, em parceria com o libretista Caterino Mazzolà.

O espetáculo acontece no auditório da Reitoria da UFMG (Av. Antônio Carlos, 6.627, campus Pampulha), no âmbito do projeto Ao cair da Tarde, da Diretoria de Ação Cultural da UFMG. A entrada é gratuita e aberta
à população.

Um Mozart sério, que demonstra ao público do século XVIII que um espetáculo de ópera, bem mais do que entretenimento, era também “um espelho para os príncipes, exortando-os a governar bem”. Em consonância com a sua época – foi escrita para a coroação do rei Leopoldo II da Bohemia apenas dois anos após o início da Revolução Francesa – a ópera cumpre sua vocação política sob o manto de grande espetáculo.

Em “La Clemenza di Tito”, o soberano, que acabara de assumir o poder após depor o governante anterior, encontra uma população abatida por guerras, instabilidade política e desastres ambientais. Entre interesses pessoais e comunitários, entre leis e o sentido íntimo de justiça, a trama se desenvolve com conspirações, paixões, tentativas de assassinato, remorsos e redenção. Na montagem da Escola de Música, o enredo da ópera, que originalmente se
passa em 79 D.C., na Roma antiga, foi ambientado em um futuro pós-apocalíptico, metafórico e utópico, no qual os personagens se humanizam e se libertam no agir pautado pela ética e pela sinceridade.

O Projeto Ópera Studio produz anualmente, com a colaboração de professores, alunos e técnicos da Escola de Música da UFMG, óperas para apresentações didáticas em espaços do campus da UFMG e externos a ele. A realização dos espetáculos promove a democratização do acesso à arte e à cultura por meio de apresentações gratuitas ou a preços populares,reforçando o compromisso social da Universidade.

 

 

A partir da próxima segunda-feira, 19/,08 terá início o Fórum UFMG de Cultura 2019, a ser realizado nos dias 19 a 22 de agosto no Conservatório UFMG (Av. Afonso Pena, 1.534, Centro – Belo Horizonte).

Sua contribuição será de grande importância na formulação de políticas culturais para Instituições de Ensino Superior. 

Para mais informações acesse: www.ufmg.br/cultura.

 

 

O primeiro Quarta Doze e Trinta do semestre acontece dia 21 de agosto, com show do duo venezuelano “El Taller de los Juglares”. “La Canción en Acción” é o nome da apresentação que será exibida na Praça de Serviços do campus Pampulha (Av. Antônio Carlos, 6.627, Pampulha). A entrada é franca e aberta ao público externo.

Formado por Bartolomé Díaz e Andrés Barrios, “El Taller de los Juglares” é um dos grupos latino-americanos mais prestigiosos que dedica sua música à infância. Originalmente, foi criado para resgatar a música infantil dos séculos passados. Atualmente, se dedica a repertórios contemporâneos de grande originalidade, alcance e ousadia.

Com o recital interativo, “La Canción en Acción”, toma como ponto de partida uma sala de aula de qualquer escola venezuelana, nas quais as crianças têm contato com seu patrimônio musical. A partir dessa experiência, elas passam a visitar jogos cantados, rezas e canções que estimulam a imaginação. O show é altamente participativo, deixando explícita a singular aproximação entre as sociedades brasileira e venezuelana, suas culturas e crianças.

 

 

A Diretoria de Ação Cultural da UFMG promove entre os dias 19 e 22 de agosto, no Conservatório UFMG (av. Afonso Pena, 1.534), a edição 2019 do Fórum UFMG de Cultura. Sob o tema Políticas e Gestão Cultural nas Instituições de Ensino Superior (IES), o evento irá refletir sobre a gestão cultural nas universidades públicas. Estarão presentes gestores de diversas IES nacionais, além dos convidados internacionais Rubens Bayardo Garcia (Argentina) e Paulo Pires do Vale (Portugal). As palestras e mesas-redondas são abertas a toda a população, e as inscrições podem ser feitas gratuitamente em www.ufmg.br/cultura.

Iniciado em 2014, o Fórum de Cultura realizou diversos encontros com o intuito de estimular e potencializar a formulação de políticas institucionais no âmbito da UFMG. Em 2019, o encontro promove debates em nível internacional e nacional, propiciando a troca de experiências entre gestores, população e comunidade acadêmica.

Segundo o diretor de Ação Cultural da UFMG, Fernando Mencarelli, o princípio geral do Fórum é o entendimento da cultura como um direito básico do cidadão. Desde sua criação, pauta-se pela promoção da diversidade cultural, democratização da produção e do acesso à cultura, responsabilidade socioambiental, promoção da interlocução entre múltiplos territórios e cartografias culturais e pela discussão de políticas de fomento.

As atividades integram a programação do Encontro Internacional Arte, Cultura e Democracia no Século XXI, promovido pela Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte.

Palestras
Na segunda-feira (19) às 14h, acontece a abertura do Fórum com a presença da reitora Sandra Regina Goulart Almeida e do diretor de Ação Cultural da UFMG Fernando Antonio Mencarelli. Em seguida, Antonio Albino Canelas Rubim, professor e pesquisador da Universidade Federal da Bahia, abrirá a rodada de palestras com o tema “Universidade, Políticas e Planos de Cultura”. Às 16h, o pró-reitor de Cultura da Universidade Federal do Cariri, Robson Almeida, discutirá os desafios de se institucionalizar a cultura nas IES.

Na terça (20), acontece a mesa-redonda “Políticas e planos de cultura na universidade”, com a participação de Alexandre Molina (Universidade Federal de Uberlândia), Jonas Defante (Instituto Federal Fluminense) e Patrícia Silva Dorneles (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

O último dia (22) contará com dois palestrantes internacionais. Às 14h, o argentino Rubens Bayardo Garcia falará sobre a experiência em gestão cultural na Universidade de San Martín. O encerramento do fórum será às 16h, com palestra sobre a estratégia do Plano Nacional das Artes de Portugal, que prevê abranger todo o universo escolar português no período 2019-2024. Quem apresenta é o comissário do plano, Paulo Pires do Vale.

GT gestores da região Sudeste
Na quarta (21), o evento será fechado ao público para abrigar as discussões do Grupo de Trabalho do Fórum de Gestão Cultural das Instituições de Ensino Superior do Sudeste. O GT visa a formulação dos Planos de Desenvolvimento Institucional e Planos de Cultura das IES e é um desdobramento da articulação nacional de gestores de cultura por meio do Fórum Nacional de Gestão Cultural das IES (Forcult). A terceira edição do Forcult acontece entre 31 de julho e 3 de agosto. Em debate, estão o papel atual da cultura nas instituições, a ampliação do intercâmbio de experiências e as estratégias de fortalecimento das políticas culturais no âmbito acadêmico.

PROGRAMAÇÃO:
19/08
14h – Abertura com a reitora da UFMG, Sandra Regina Goulart Almeida, e o diretor de Ação Cultural da UFMG, Fernando Mencarelli

14h15 – Palestra Universidade, Políticas e Planos de Cultura | Antonio Albino Canelas Rubim
Professor do Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade da Universidade Federal da Bahia

16h – Palestra Universidade cultural: Institucionalizar a cultura nas IES a partir da política e da gestão cultural | Robson Almeida
Pró-reitor de Cultura e coordenador do processo de elaboração do Plano de Cultura da Universidade Federal do Cariri

20/08
14h – Mesa-redonda Políticas e planos de cultura na universidade
Alexandre Molina | Universidade Federal de Uberlândia
Jonas Defante | Instituto Federal Fluminense
Patricia Silva Dorneles | Universidade Federal do Rio de Janeiro

21/08
14h – Reunião do Grupo de Trabalho do Fórum de Gestão Cultural das Instituições de Ensino Superior do Sudeste

22/08
14h – Palestra Gestão cultural na universidade pública | Rubens Bayardo Garcia
Diretor da Carreira de Especialização em Gestão Cultural e Políticas Culturais do Instituto de Altos Estudos Sociais da Universidad Nacional de San Martín

16h – Palestra Plano Nacional das Artes de Portugal | Paulo Pires do Vale
Comissário do Plano Nacional das Artes, curador, ensaísta e professor universitário.

 

 

Inscrições para a quadrilha da Assufemg

– Inscrições de casais: 19 à 23 de Julho das 08 às 16:30 na secretaria da Assufemg;

– Quem poderá participar: sócios e seus dependentes e comunidade universitária em geral ( necessário ter vínculo com a UFMG);

– Apresentação da quadrilha: dia 02/08 às 21:30 na Assufemg;

– Ensaios:  26/07 e 01/08;

– Horário dos ensaios: 17:30 às 18:30;

– Trajes: Ficará a cargo de cada participante providenciar o seu.

 

 

O grupo Tambor de Crioula Rosa de São Benedito, do Maranhão, importante vetor de expressão da matriz cultural afro-brasileira, se apresenta nesta quarta-feira, 26, a partir das 11h30, na Praça de Serviços, no campus Pampulha. A manifestação Tambor de Crioula, que inclui dança circular, canto e percussão de tambores, é Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro desde 2007.

A vinda do grupo surgiu de um trabalho do jornalista e graduando do curso de Biblioteconomia, Luiz Henrique Batista, no âmbito da disciplina Memória de Patrimônio. “Ao elaborar texto para um trabalho, descobri esse grupo do Maranhão, terra onde o Tambor de Crioula foi tombado como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro. Fiz o convite, e eles aceitaram fazer uma breve apresentação em sala de aula. Depois, decidimos expandir para toda comunidade universitária em uma performance mais apurada na Praça de Serviços”, relata Batista.

Criado em 2008 pelo maranhense Paulo Lobato, o Tambor de Crioula Rosa de São Benedito é resultado da reunião de coreiros e coreiras na devoção a São Benedito. O grupo vai oferecer saias para mulheres e homens da plateia que desejam entrar na dança.

Por mulheres
O Tambor de Crioula inclui-se entre as expressões do que se convencionou chamar de samba, derivadas, originalmente, do batuque, assim como o jongo, no Sudeste, o samba de roda, no Recôncavo Baiano, o coco, no Nordeste, e algumas modalidades do samba carioca. Uma apresentação do gênero pode ocorrer ao ar livre, em praças, no interior de terreiros, ou associada a outros eventos. Em comum, essas manifestações são praticadas especialmente em louvor a São Benedito.

A dança do tambor de Crioula normalmente é executada por mulheres e apresenta uma coreografia livre e variada. Uma dançarina de cada vez faz evoluções diante dos tambozeiros, enquanto as demais, completando a roda de tocadores e cantadores, fazem pequenos movimentos para a esquerda e para a direita, esperando a sua vez de receber a punga para substituir a que está no centro da roda.


 

Programação:

17:30 às 19:30 – Bingo

 

20:00 às 20:30 – Casamento na roça e quadrilha ensaiada

 

20:30 às 23:00 – Show com Saldanha Rolim e Trio Bodocó

 

Teremos também barraquinhas com comidas típicas, fogueira e pau de sebo!

Página 1 de 7612345678910...203040...Última »
Notícias por categoria
Notícias anteriores
Comentários