Get Adobe Flash player

CULTURA

Página 1 de 8012345678910...203040...Última »

 

 

– O concurso de Rei e Rainha será realizado às 19:40;

– O concurso de fantasias (infantil e adulto) será realizado de 21:00 às 21:30;

– Só poderão participar sócios e dependentes (Assufemg e Sindifes).

 

 

 

A 14ª edição do Verão Arte Contemporânea, festival promovido pela Prefeitura de Belo Horizonte que começou na semana passada, tem, em sua programação, três produções de grupos da UFMG.

A mostra Territórios populares, concebida pelo grupo Indisciplinar, da Escola de Arquitetura da UFMG, é fruto de atividades de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas por meio do encontro com territórios do hipercentro expandido de Belo Horizonte. Em cartaz até 9 de fevereiro, no Centro Cultural UFMG, a mostra mergulha, usando a fotografia e um jogo conceitual, nos desdobramentos de narrativas sobre processos de disputas territoriais e resistências naquela região da cidade.

Até 2 de fevereiro, ocorre ainda uma série de oficinas, nas quais o público é convidado a realizar autorretratos com câmeras de celular, a desenhar cartografias imaginárias da cidade e a ilustrar as fotos. “Utilizamos a criação artística como ferramenta para gerar coletivamente outras possibilidades de figurações de narrativas em cada território. A comunicação por meio da arte possibilita criar um espaço distinto de sensibilização, pois gera a troca e criação de imaginários entre territórios populares, oficineiros, pesquisadores e público”, afirmam as curadoras Marcela Silviano Brandão Lopes, Natacha Rena e Patrícia Azevedo.

A atividade é gratuita, com classificação livre, e pode ser visitada de segunda a sexta, das 10h às 21h, ou aos sábados e domingos, das 10h às 18h. O Centro Cultural UFMG fica na Avenida Santos Dumont, 174, Centro, Belo Horizonte.

Música
Produzido e apresentado pelo Conservatório UFMG, o Circuito Contemporâneo convida o público a vivenciar o universo da música eletroacústica no dia 6 de fevereiro, às 19h30 e às 20h30. Explorando um sistema de som multicanal, o concerto possibilita uma escuta diferenciada, com imersão no som. Quatro obras serão executadas em sessão de 45 minutos: duas acusmáticas, uma obra mista (com a participação de um instrumentista tocando ao vivo) e outra com vídeo. A atividade, gratuita, será no Conservatório UFMG (Avenida Afonso Pena, 1.534, Centro, Belo Horizonte). Interessados devem retirar os convites (limitados a um por pessoa) a partir das 17h no dia do evento.

No dia 7 de fevereiro, às 20h, o Conservatório UFMG recebe o Trivial Trio para uma apresentação de música instrumental brasileira. O grupo reúne Augusto Cordeiro (violão), Paulo Fróis (bateria) e Pedro Gomes (baixo). O show terá duração de uma hora, e os ingressos custam R$ 30 e R$ 15 (meia). Augusto e Pedro são estudantes da Escola de Música da UFMG, e Paulo Fróis é bacharel em Música também pela UFMG.

O trabalho do Trivial é inspirado nas principais referências da MPB e da música instrumental brasileira. O show promove um diálogo com diversos universos musicais, como o samba, a bossa nova, o baião, a música latina e o jazz.

O Verão Arte Contemporânea reunirá, até 11 de fevereiro, artistas locais e nacionais em 27 atividades distribuídas em 16 espaços culturais de Belo Horizonte.

 

 

A PeriFeira, que propicia a exposição e venda de produtos feitos por jovens empreendedores da periferia de Belo Horizonte e região metropolitana, promoverá uma edição especial durante o Festival de Verão da UFMG, nos dias 5 e 6 de fevereiro de 2020. Alunos, docentes e técnicos-administrativos da UFMG de 18 a 29 anos interessados em expor seus produtos podem se inscrever até o dia 20 de janeiro por meio de preenchimento de formulário eletrônico através deste link: http://bit.ly/2RkDxhW

Dos 35 estandes, 10 serão reservados para a comunidade da UFMG. Comissão organizadora avaliará as candidaturas, levando em conta o caráter artesanal e autoral dos produtos. O resultado será divulgado no dia 23 de janeiro, na página do Instagram: @perifeira_oficial.

Feitos à mão
A Perifeira é uma iniciativa autônoma, que ocorre uma vez por mês no Centro de Referência da Juventude, com entrada gratuita. O projeto de economia solidária visa fortalecer os empreendimentos de jovens moradores da periferia de Belo Horizonte e região metropolitana, além de inserir na agenda da capital um espaço para exposição de produtos e serviços ofertados por eles.

 

 

 

A Escola de Música realiza, de 2 a 5 de abril de 2020, o seminário internacional Desenvolvimento humano na primeira infância: educação musical e musicoterapia. As inscrições poderão ser feitas até 31 de março de 2020, no site da Fundep: http://bit.ly/36vVb8F

O evento é uma oportunidade de refletir e compartilhar conhecimentos sobre a educação e a terapia por meio da música na primeira infância. As discussões são dirigidas tanto para estudantes e docentes de música quanto para professores que atuam na educação infantil e profissionais da saúde que trabalham com crianças na primeira infância.

O valor do investimento é de R$ 300 para profissionais, R$ 200 para estudantes de pós-graduação e R$ 100 para graduandos. Para requisitar o desconto,os alunos deverão enviar comprovante de matrícula para o e-mail: suporte.extensao@fundep.com.br. Só será aceito pagamento à vista.

 

 

 

A UFMG e a Fundação Clóvis Salgado assinaram na tarde de ontem, dia 2, um protocolo de intenções que formaliza e viabiliza parcerias entre as instituições. “A parceria entre a UFMG e a Fundação Clóvis Salgado já vem de muitos anos, mas agora ela se consolida por meio desse acordo”, disse a reitora Sandra Regina Goulart Almeida, no evento de assinatura do protocolo. “Essa assinatura sinaliza os vínculos, os laços entre as duas instituições, que estão empenhadas na construção de políticas públicas no campo da cultura, no campo das artes”, afirmou. “Nesse momento difícil do nosso país, é importante que tenhamos esses vínculos”, ressaltou.

Sandra lembrou que, na UFMG, a produção cultural é entendida efetivamente como uma vertente acadêmica. “Para nós, a cultura é um campo da produção de conhecimento que está alinhado ao ensino, à pesquisa e à extensão; pensamos a cultura de forma estratégica, vinculada à nossa missão formadora”, afirmou. Nesse sentido, a reitora apontou o acordo como a formalização de um “espaço profícuo de colaboração entre as duas instituições”.

Segundo Eliane Parreiras, presidente da Fundação Clóvis Salgado – instituição responsável pela programação, produção e administração das atividades artísticas do Palácio das Artes –, a ideia é que, em 2020, ações concretas já sejam realizadas no âmbito do acordo firmado. Para isso, profissionais das duas instituições estão trabalhando atualmente em um plano de ação para o ano que vem. “Estamos prevendo parcerias entre as atividades de formação das duas instituições e entre as atividades de extensão da UFMG e as nossas atividades de mediação de conteúdo”, afirmou. Segundo ela, uma possibilidade é que a Fundação crie linhas de atuação específicas para os estudantes da Universidade, para que cumpram os seus estágios obrigatórios. “A verdade é que nós acreditamos em um círculo virtuoso: assim que uma primeira atividade é realizada, ela termina puxando outras, fortalecendo cada vez mais a parceria”, disse.

Manutenção das conquistas
Fernando Mencarelli, diretor de Ação Cultural da UFMG, lembrou que o objetivo do acordo “é instituir a cooperação voltada para a extensão, o ensino e a pesquisa, com vistas ao desenvolvimento de ações de interesse comum” das duas instituições, e que os programas e projetos de mútuo interesse a serem desenvolvidos no âmbito do acordo deverão ser formalizados por meio de instrumentos jurídicos específicos. “Vamos promover a integração das ações desenvolvidas pela Fundação Clóvis Salgado e pela comunidade acadêmica da UFMG, envolvendo equipes técnico-científicas formadas por professores, pesquisadores, técnicos e estudantes”, disse Mencarelli, que trabalha atualmente no plano de ação para ser colocado em prática no próximo ano.

O diretor de Ação Cultural ainda falou sobre a importância estratégica do protocolo para a consolidação das conquistas obtidas ao longo dos últimos anos no campo das políticas culturais. “É na constituição de redes bem articuladas que promovam a integração das instituições culturais e de ensino que conseguiremos consolidar e avançar nas conquistas obtidas ao longo dos últimos anos nas políticas públicas culturais. Somos, em muitos aspectos, complementares e, em muitos outros, convergentes em nossa missão e em nossas ações”, disse. “Para nós, é muito importante que no âmbito do governo estadual possamos encontrar essa parceria com a Fundação Clóvis Salgado e somar esforços para o fortalecimento mútuo e a concretização de uma política cultural pública fundamentada nos valores democráticos.”

De fato, esta não é a primeira parceria desse tipo que a UFMG formaliza neste ano, como lembra Ana Flávia Machado, diretora de Cooperação Institucional da UFMG. “No início do ano nós já havíamos assinado um acordo com a Secretaria Municipal de Cultura. Agora, com a Fundação Clóvis Salgado, temos uma variedade enorme de temas em foco, que não dizem respeito apenas ao campo da cultura, ainda que esse seja o carro-chefe da iniciativa conjunta”, lembrou a diretora.

Claudia Mayorga, pró-reitora de Extensão da UFMG, falou sobre essa abrangência do acordo. “Na UFMG, temos trabalhado de forma a articular ensino, pesquisa, extensão e cultura, então eu penso que essa parceria vem celebrar, também, esse movimento que temos feito internamente de associar as ações e trabalhar de forma articulada”, disse.

A presidente da Fundação Clóvis Salgado, Eliane Parreiras ainda listou outros tipos de ações já no horizonte da parceria. “A UFMG tem vários projetos na área de música, por exemplo, que a gente pode absorver em nossos espaços. Outra possibilidade é o trânsito de nossos acervos: tanto a UFMG quanto a Fundação têm acervos artísticos importantíssimos, especialmente no campo das artes visuais”, lembrou. “E há também o caso de projetos e programas das instituições que podem se casar do ponto de vista do conteúdo, a exemplo do Festival de Inverno da UFMG. Em relação a ele, por exemplo, talvez possamos atuar de forma conjunta, sediar parte da programação, trabalhar com o mesmo tema no mesmo período etc.”, disse, afirmando ser do interesse da Fundação levar o público da Universidade para dentro de seus equipamentos e espaços.

 

 

 

Até 29 de novembro, o site da Editora UFMG e as livrarias UFMG, no campus Pampulha e no Espaço do Conhecimento (Praça de Liberdade), oferecem descontos de 10% a 80% em todos os livros do catálogo.

A Black week é a maior campanha de vendas realizada pela Editora em 2019. Boa parte do acervo está sendo comercializada pela metade do preço de capa, como Mais Médicos – as vozes dos atores e os impactos do programa na atenção básica à saúde, organizado pela professora Helcimara Telles (de R$ 56 por R$ 28), Mares interiores –correspondência de Murilo Rubião & Otto Lara Resende, de Cléber Araújo Cabral (de R$ 49,80 por R$ 24,90), Duas artes – Carlos Drummond de Andrade e Elizabeth Bishop, de Maria Lucia Milleo Martins (de R$ 37 por R$ 19,90), e Almanaque de um condado arenoso e alguns ensaios sobre outros lugares, de Aldo Leopold (de R$ 59 por R$ 29,50).

Mais informações podem ser obtidas por meio dos telefones das livrarias: (31) 3409-4642 (Pampulha) e 3409-8383 (Liberdade).

Página 1 de 8012345678910...203040...Última »
Notícias por categoria
Notícias anteriores
Comentários