Get Adobe Flash player

Arquivo do Autor

 

 

A CAIXA já recebeu várias denúncias de servidores ativos e aposentados que receberam ligações informando que seu cartão foi clonado e que foi realizada compra com o mesmo. Nesta ligação pedem ao cliente para ligar no número que está no verso do cartão. A pessoa liga e imediatamente a ligação é interceptada pelos bandidos que agem como se realmente fosse da Central de Atendimento da Caixa e passam número de protocolo, confirmam dados, pedem para digitar a senha para cancelamento do cartão e enviam SMS, como se fosse a Caixa informando sobre o cancelamento do cartão. Em seguida, avisam ao cliente que um funcionário do banco irá buscar o cartão em sua casa, junto com uma carta de contestação com texto ditado por eles e que tem que ser escrito. Informam que a devolução do cartão é necessária para comprovar que o cartão foi clonado e que o mesmo será encaminhado para investigação pela polícia. Uma pessoa vai à residência do cliente, portando crachá falso da Caixa, para buscar o cartão. De posse do cartão e da senha que já foi informada pelo cliente, eles efetuam compras e saques até o limite disponível pelo sistema.

IMPORTANTE RESSALTAR QUE A CAIXA, EM MOMENTO ALGUM, SOLICITA AO CLIENTE QUE DIGITE OU INFORME SUAS SENHAS E TAMBÉM NÃO BUSCA CARTÃO DE CRÉDITO EM SUAS RESIDÊNCIAS.

Há informações que este tipo de golpe está sendo aplicado também em clientes de outras instituições financeiras.

Fique atento! Nunca forneça seus dados bancários e pessoais por telefone, pois essas informações podem ser utilizadas para fins ilícitos.
.
Para quaisquer serviços e/ou informações, entre em contato direto com sua agência bancária.

 

 

O prédio Oscar Versiani Caldeira, sede da Faculdade de Medicina da UFMG, no campus Saúde, não terá expediente nas próximas segunda, 13, e terça-feira, 14 de janeiro, devido a obras de ampliação e modernização na sua subestação de energia. O fornecimento de energia elétrica será interrompido em quase toda a unidade.

Serão afetados os blocos 01 e 02 do prédio, das 07h15 às 18h, nos dois dias. Assim, não haverá funcionamento de nenhum setor administrativo ou atendimento a público externo na Faculdade, além de serviços prestados por terceiros como os bancários. Apenas o fornecimento de energia nos laboratórios ligados ao Hospital das Clínicas e de outras instalações de pesquisa em que o funcionamento constante de aparelhos é indispensável será mantido.

As intervenções marcam o início da ampliação e modernização da subestação localizada no subsolo do prédio, com a instalação de novo sistema de exaustão e preparação para ampliação dos novos espaços na sala de quadros de distribuição. Ao fim das obras, haverá a ampliação da carga elétrica para atender aos três blocos da Faculdade

 

 

 

A Escola de Música realiza, de 2 a 5 de abril de 2020, o seminário internacional Desenvolvimento humano na primeira infância: educação musical e musicoterapia. As inscrições poderão ser feitas até 31 de março de 2020, no site da Fundep: http://bit.ly/36vVb8F

O evento é uma oportunidade de refletir e compartilhar conhecimentos sobre a educação e a terapia por meio da música na primeira infância. As discussões são dirigidas tanto para estudantes e docentes de música quanto para professores que atuam na educação infantil e profissionais da saúde que trabalham com crianças na primeira infância.

O valor do investimento é de R$ 300 para profissionais, R$ 200 para estudantes de pós-graduação e R$ 100 para graduandos. Para requisitar o desconto,os alunos deverão enviar comprovante de matrícula para o e-mail: suporte.extensao@fundep.com.br. Só será aceito pagamento à vista.

 

 

 

Evidências científicas apontam que o contato com espaços verdes contribui com a promoção de saúde mental dos indivíduos. Pensando nisso, o projeto Jardins do Borges – financiamento colaborativo promovido na UFMG para melhoria de espaços do Hospital Borges da Costa – poderá aprimorar o tratamento e promover a saúde de crianças, adultos e idosos de Belo Horizonte.

“A relação entre a urbanicidade (cidades grandes, trânsito, poluição do ar e sonora, etc.) com um maior risco de desenvolver transtornos mentais está bem estabelecida e, por outro lado, vários estudos apontam que espaços verdes aumentam o bem-estar e promovem a saúde mental”, explica o professor Bernardo Viana, do Departamento de Saúde Mental da Faculdade de Medicina da UFMG. “O impacto de espaços verdes ocorre mesmo dentro da cidade, relacionando-se com uma menor prevalência de transtornos mentais em uma área onde estes espaços estão disponíveis”, continua.

Em relação a espaços terapêuticos, ambientes arborizados têm apresentado resultados positivos no tratamento de crianças e adolescentes, assim como com pessoas com demências. “Promover o desenvolvimento de parques e jardins, assim como ações terapêuticas em espaços abertos com contato com a natureza, podem melhorar o bem-estar e promover a saúde mental”, garante o professor.

Ele explica que áreas verdes dentro do hospital, como na proposta do Jardins do Borges, quebram o estigma de local de doença e auxiliam na percepção de que aquele pode ser um lugar agradável. No caso das crianças, também há a percepção de que é um espaço adequado para brincar e ser criança.

Campanha Jardins do Borges
Os espaços ao fundo do hospital serão telados e receberão melhorias nos pisos, jardins, iluminação, além de instalação de playground de atividades infantis, labirinto sensorial (feito para estimular os sentidos das crianças) e mobiliário específico para alocar materiais de trabalho usados nas terapias, como equipamentos de fisioterapia e terapia ocupacional.

No Hospital Borges da Costa, algumas atividades já foram implementadas na área externa do serviço de psiquiatria, em ambiente aberto e com presença de árvores. É o caso de terapias em grupo – como o de cessação de tabagismo -, a arteterapia para idosos com depressão, a musicoterapia para pessoas com esquizofrenia e atividades de psicoeducação. Com as melhorias propostas, isso pode se intensificar, englobando também atividades terapêuticas de relaxamento e concentração (como o Mindfulness, Tai Chi Chuan e Lian Gong); assistidas por animais (como a utilização de cães em grupos de pacientes com autismo e demências), entre outras.

No caso de crianças com autismo, o estímulo sensorial do jardim pode ser terapêutico e auxiliar na superação de restrições relacionadas às texturas. Outro ponto positivo para crianças é o potencial de integração de diferentes ambulatórios de especialidades do Hospital, o que permitiria a interação dos pacientes em tratamento de diversas doenças. O ambiente projetado também beneficia adultos, com melhorias terapêuticas e de mobilidade.

Qualquer pessoa poderá doar pela plataforma Benfeitoria. O projeto foi aberto dia 18 de novembro. As doações estão ligadas a recompensas, entregues caso se alcance o valor estabelecido. Quem contribuir poderá receber de ecobag e camiseta até convites para a Semana de Inovação e jantar especial do Chef Leo Paixão, no restaurante Glouton. Caso o valor de doações necessárias para execução do projeto não seja atingido, os doadores recebem de volta o investimento realizado.

 

Acesse a Edição do jornal online clicando aqui.

Notícias por categoria
Notícias anteriores
Comentários