Get Adobe Flash player

Arquivo do Autor

 

 

Os ônibus internos da UFMG no campus Pampulha terão suas rotas alteradas em dias de jogos da Copa América no Estádio Governador Magalhães Pinto (Mineirão) devido às interdições em seu entorno. A partir das 14h, as linhas circularão apenas no interior do campus, sem passar pelas avenidas Presidente Carlos Luz e Antonio Abrahão Caram, como normalmente acontece.

 

Essa mudança de percurso ocorre nos dias 19 e 24 deste mês e no dia 2 de julho, quando o Mineirão receberá a semifinal do torneio.

 

Estacionamentos
Os jogos da Copa América em Belo Horizonte também provocaram mudanças nos horários de entrada e saída dos estacionamentos da Escola de Veterinária e da área externa do Mineirão – contíguo à Faculdade de Farmácia –, ambos com acesso pela Avenida Abrahão Caram. Nos dias das partidas, o acesso a esses espaços deverá ser feito por meio das entradas do campus Pampulha.

 

Os ônibus internos da UFMG no campus Pampulha terão suas rotas alteradas em dias de jogos da Copa América no Estádio Governador Magalhães Pinto (Mineirão) devido às interdições em seu entorno. A partir das 14h, as linhas circularão apenas no interior do campus, sem passar pelas avenidas Presidente Carlos Luz e Antônio Abrahão Caram, como normalmente acontece.

 

Nesta quarta, data do jogo Argentina e Paraguai, que começa às 21h30, o acesso permanecerá fechado das 15h às 3h do dia seguinte. Em 22 de junho, a entrada e saída do estacionamento ficarão impedidas das 10h às 22h. Nesse dia, jogam Bolívia e Venezuela, às 16h. Dois dias depois, 24 de junho, o confronto será entre Equador e Japão, a partir das 20h, e o acesso ficará interditado das 14h às 2h do dia seguinte. Na semifinal, marcada para 2 de julho, às 21h30, o acesso aos estacionamentos permanecerá fechado das 15h às 3h do dia seguinte.

 

A fachada do Espaço do Conhecimento UFMG, que fica na Praça da Liberdade, Zona Sul de Belo Horizonte, anunciava mais uma iniciativa da Universidade para colocar a ciência na rua. Na noite da última segunda-feira, 10, cerca de 220 pessoas participaram da première do UFMG Talks. O evento foi realizado no auditório principal do Centro Cultural Banco do Brasil (o teatro tem capacidade para 267 pessoas), que, assim como o Espaço do Conhecimento UFMG, integra o Circuito Cultural Praça da Liberdade.

 

A primeira edição, realizada na noite de segunda-feira, 10, reuniu a professora Sandra Regina Goulart Almeida, da Faculdade de Letras e atual reitora da UFMG, e o professor Sergio Danilo Pena, do Instituto de Ciências Biológicas. Sob as perspectivas da literatura e da genética, eles abordaram o tema Quem somos nós, os brasileiros? O registro em vídeo da primeira edição será publicado ainda nesta quarta-feira, 12, no canal da TV UFMG na internet e no site da Pró-reitoria de Pesquisa (PRPq) da Universidade.

 

Para a reitora Sandra Goulart Almeida, é preciso que a Universidade faça um esforço para levar ao conhecimento do grande público os projetos, as discussões e os resultados de pesquisas realizadas no ambiente acadêmico. “A ciência é parte de nossa vida, de nosso dia a dia. É importante que partilhemos com a sociedade o que se faz dentro do ambiente acadêmico”.

 

A dirigente também reiterou a importância da ciência para o desenvolvimento do Brasil. “É por meio da ciência, por meio do desenvolvimento tecnológico, que conseguiremos promover, com igualdade, o crescimento econômico de nosso país. E, no Brasil, 95% das pesquisas são realizadas por instituições públicas de ensino superior, como a UFMG”, esclareceu ela durante a abertura do evento.

 

 

O grupo cênico musical Los Musiqueros, de Buenos Aires, apresenta o espetáculo Daqui e dali na próxima quarta-feira, dia 12, às 12h30, na Praça de Serviços da UFMG. Voltado para crianças e adultos, o show apresentado no Quarta Doze e Trinta destaca o valor da música na cultura dos povos. A apresentação é gratuita e aberta ao público externo. Mais informações pelo (31) 3409-4152.

 

Com repertório “daqui e dali”, o trio canta músicas de todos os lugares: desde o deserto de Kalahari aos Andes, de canções tradicionais latino-americanas, às africanas e europeias. Os
instrumentos não poderiam ser mais inusitados. Mesas, panelas, tubos e luvas de cozinha se juntam a violões, flautas e tambores para reproduzir sons.

 

Los Musiqueros é um grupo com mais de 30 anos de trajetória, formado por Julio Ernesto Calvo, Teresa Usandivaras e Pablo Spiller. Com cinco álbuns gravados, e quatro prêmios acumulados ao longo de sua história, o trio participou de inúmeros festivais na América Latina
e na Europa, atuando na Argentina, Chile, Peru, Uruguai, Brasil, Colômbia, Irlanda, França,Áustria, República Tcheca e Alemanha.

 

 

Trabalho em equipe, companheirismo, compreensão de si, dos outros e do ambiente não são características presentes apenas no universo adulto. A criançada também está convidada a experimentar essa vivência, de forma divertida e lúdica, durante a animação pedagógica Aprender e brincar, e em várias outras propostas recreativas, esportivas e culturais, que integram a programação do Domingo no Campus, que será realizado no próximo dia 9, das 9h às 13h.

 

O evento, em sua 16ª edição, vai oferecer atividades gratuitas para o público de todas as idades. Serão realizadas diversas oficinas, como crochê, tricô, tear de pregos, origami, aeromodelismo, cartão ecológico, aulas de ioga, de forró, apresentações musicais, piquenique literário, contação de histórias e a feira agroecológica.

 

Serviços
As atividades serão realizadas no Bosque da Escola de Música, no gramado em frente à Faculdade de Ciências Econômicas, no campo da Assufemg, na Praça de Serviços e no entorno do prédio da Reitoria, onde os visitantes terão suporte de banheiros químicos, ambulância e food trucks. Na Praça de Serviços, a lanchonete e a feira agroecológica, aberta das 9h às 12h, são outras opções de alimentação.
Os animais de estimação também são bem-vindos, e seus donos devem levar recipientes para a alimentação dos pets e para recolher seus dejetos.

 

O Domingo no Campus está inserido no calendário anual da Universidade, nos campi Pampulha e Montes Claros, com adesão crescente da população. O evento é resultado de iniciativa conjunta das pró-reitorias de Extensão (Proex), Administração (PRA) e Assuntos Estudantis (Prae), da Diretoria de Ação Cultural (DAC), da Coordenadoria de Assuntos Comunitários (CAC) e do Centro de Comunicação (Cedecom).

 

 

Já está no ar a Edição 1264 do Pinga fogo!

 

Acesse neste link: http://bit.ly/2HXTLdh e confira!

 

 

A médica neurologista Elisa de Paula França Resende se comove ao perceber os progressos apresentados pelos voluntários – de 23 a 80 anos – participantes de sua pesquisa que busca dimensionar os efeitos da alfabetização tardia sobre a memória e a conectividade cerebral. “Como é bonito vê-los aprendendo a ler”, observa. Em consonância com pesquisadores do mundo inteiro, Elisa sustenta que o baixo nível educacional integra seleto grupo de fatores de risco controláveis da demência – os outros são a hipertensão arterial, o diabetes, o tabagismo, o sedentarismo, a depressão e a perda auditiva, este de constatação mais recente.

 

Considerada uma síndrome clínica, a demência apresenta conjunto de sintomas decorrentes de várias causas irreversíveis. No entanto, 30% delas, incluindo o baixo nível educacional, são possíveis de prevenção. Esse é o objeto da pesquisa, iniciada neste ano, pela médica, que integra o Grupo de Neurologia Cognitiva do Comportamento do Hospital das Clínicas, coordenado por seu professor e orientador, Paulo Caramelli.

 

Também doutoranda do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Neurociências da UFMG, Elisa França vai investigar, até 2020, cerca de 50 estudantes matriculados na Educação de Jovens e Adultos para comprovar se, mesmo na fase adulta, a alfabetização pode contribuir para a saúde cerebral das pessoas. “Nossa expectativa é validar a hipótese de que os estímulos gerados pela escolarização contribuem para produzir mais conexões cerebrais e estratégias de memorização por parte dos estudantes. Caso se confirme, vamos mostrar, mais uma vez, que, mesmo tardiamente, a educação promove a saúde cerebral das pessoas”, afirma.

 

 

– Inscrições de casais: 03 à 21 de Junho das 08 às 16:30 na secretaria da Assufemg;

 

– Quem poderá participar: sócios e seus dependentes e comunidade universitária em geral ( necessário ter vínculo com a UFMG);

 

– Apresentação da quadrilha: dia 02/08 às 21:30 na Assufemg;


– Ensaios: 28/06, 05/07, 12/07, 20/07, 26/07 e 01/08;

 

– Horário dos ensaios: 17:30 às 18:30;

 

– Trajes: Ficará a cargo de cada participante providenciar o seu.

Notícias por categoria
Notícias anteriores
Comentários