Get Adobe Flash player
Página 1 de 11
Na quarta-feira passada, dia 27 de abril, a UFMG enviou uma nota à comunidade informando que, apesar da “crescente pressão social pelo relaxamento das medidas preventivas” contra a covid-19, a Universidade, por ora, “mantém a obrigatoriedade do uso das máscaras em seus espaços”. Em seguida, a nota faz lembrar que “o uso de máscaras é uma estratégia de proteção coletiva importante e visa garantir a segurança de todas as pessoas”.
Como informa o texto, que é assinado pela reitora Sandra Regina Goulart Almeida e pelo vice-reitor Alessandro Fernandes Moreira, a manutenção do uso de máscaras é uma medida de prevenção consistente com a atual condição pandêmica da covid-19. A nota ressalta, nesse sentido, que a emergência sanitária vivida atualmente pelo Brasil e pelo mundo ainda é definida como uma pandemia e, portanto, deve ser tratada como tal.
A nota vem a público após o governo de Minas Gerais anunciar que, a partir de 1º de maio, no estado, as pessoas não precisarão mais usar máscaras em locais fechados. O anúncio foi feito pelo governador Romeu Zema por meio de seu perfil no Twitter. Nesta quinta-feira, 28, de igual modo, a Prefeitura de Belo Horizonte, cidade em que a UFMG tem mantém o seu maior campus, também publicou um decreto em que desobriga o uso de máscaras em locais fechados, mas mantendo a obrigatoriedade para o transporte coletivo, o transporte escolar e os estabelecimentos de saúde.
Na nota em que informa que manterá a obrigatoriedade do uso de máscaras em seus espaços “mesmo que outros espaços da cidade estejam adotando medidas mais flexíveis”, a UFMG destaca outras razões da decisão: “A avaliação do Comitê da UFMG de Enfrentamento ao Novo Coronavírus é a de que ainda é prudente manter os cuidados para evitar a transmissão do vírus. O período de outono e inverno aumenta a circulação de diversos vírus respiratórios e ainda não sabemos como será o impacto dessa sazonalidade na capacidade do nosso sistema de saúde, exausto e sobrecarregado pelas consequências diretas e indiretas da pandemia.
A publicação também reitera “a determinação de que sejam evitadas quaisquer formas de aglomerações” nos espaços da Universidade e a recomendação do Comitê da UFMG de Enfrentamento ao Novo Coronavírus para que se privilegie o uso de espaços abertos e bem ventilados. Além disso, o documento lembra que é necessário o afastamento das atividades presenciais em casos de sintomas de covid-19 e que o sistema MonitoraCovid continua em atividade e deve ser usado pelos integrantes da comunidade acadêmica, quando surgirem sintomas.
Fonte: https://www.medicina.ufmg.br

Deixe um comentário

Página 1 de 11
Notícias por categoria
Notícias anteriores
Comentários